TOP BLOG 2010

TOP BLOG 2010

Boas Vindas a esta comunidade de Culturas e Afetos Lusofonos que já abraça 76 países

MÚSICA DE FUNDO E AUDIÇÃO DE VÍDEOS E AUDIOS PUBLICADOS

NÓS TEMOS TODO O EMPENHO EM MANTER SEMPRE MÚSICA DE FUNDO MUITO SELECIONADA, SUAVE, AGRADÁVEL, MELODIOSA, QUE OUVIDA DIRETAMENTE DO SEU COMPUTADOR QUANDO ABRE UMA POSTAGEM OU OUVIDA ATRAVÉS DE ALTI-FALANTES OU AUSCULTADORES, LHE PROPORCIONA UMA EXPERIÊNCIA MUITO AGRADÁVEL E RELAXANTE QUANDO FAZ A LEITURA DAS NOSSAS PUBLICAÇÕES.

TODAVIA, SEMPRE QUE NAS NOSSAS POSTAGENS ESTIVEREM INCLUÍDOS AUDIOS E VÍDEOS FALADOS E/OU MUSICADOS, RECOMENDAMOS QUE DESLIGUE A MÚSICA AMBIENTE CLICANDO EM CIMA DO BOTÃO DE PARAGEM DA JANELA "MÚSICA - ESPÍRITO DA ARTE", QUE SE ENCONTRA DO LADO DIREITO, LOGO POR BAIXO DA PRIMEIRA CAIXA COM O MAPA DOS PAISES DOS NOSSOS LEITORES AO REDOR DO MUNDO.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

PEDRO GRILO NETO, POETA-TROVADOR - TRIBUTO DE HOMENAGEM NO SEU ANIVERSÁRIO

TRIBUTO DE HOMENAGEM AO POETA –TROVADOR
E ARTISTA PLÁSTICO PEDRO GRILO

O meu amigo poeta-trovador e artista plástico Pedro Grilo é uma personalidade e figura ímpar no Rio Grande do Norte, especialmente em Natal, onde reside. Autodidata de notória cultura geral, grande conversador sobre muitas temas da atualidade, como temas cívico-políticos, de história, de filosofia. Evidencia o perfil de um poeta-trovador e artista plástico que é também um pensador humanista, preocupado com as injustiças sociais e políticas, com as agressões à paz, aos direitos humanos, ao planeta. 

Estas preocupações reflete-as Pedro Grilo nas conversas, como nos poemas e nos seus escritos e sempre faz as suas denúncias com ousadia, acutilância e coragem. Dotado de uma inteligência vivaz que perscruta  a alma e os sentimentos sentidos pelo povo, ele interpela também os “grandes do reino”  jogando-lhes na cara as suas perversidades criminosas. A linguagem que usa é absolutamente inimitável e singular: ao mesmo tempo é original, barroca, renascentista, vicentina, carregada de neologismos e arcaísmos que enfeitam as suas metáforas. Só Pedro Grilo é capaz de escrever assim. 

É um talento inato o deste poeta-trovador-artista que acrescenta as estas singularidades uma figura emblemática que, desde logo, impressiona  pela inusitada forma  muito criativa em como traja com elegância os seus ternos brancos ou escuros a condizer com seus enormes  chapéus de largas abas.

Quase sempre  acompanhado do seu longo cajado de peregrino, compõe, assim, uma figuração artística que se impõe naturalmente, como se estivesse sempre preparado para representar as personagens do seu imaginário, qual D. Quixote moderno sempre armado de sua lança, que empunha como um ceptro de nobreza. O que corresponde,  sem dúvida, à nobreza real que lhe veste por dentro e por fora a sua alma generosa de lutador-peregrino, que usa os termos vernáculos como armas e a sua forma de se apresentar como símbolo de um tempo em que o culto do discurso da verdade e da sabedoria dos justos, abriam caminhos novos apontados pelos Mestres aos seus discípulos. 

Pedro Grilo, como poeta, artista, pensador, filósofo,  de cariz popular, mas que ora se expressa de forma erudita, ora de forma simples, nos remete, ao mesmo tempo, para a representação de um moderno Platão e um Sócrates, um  D. Quixote de Cervantes, um trovador de Gil Vicente, um Garibaldi lutador e revolucionário, um antigo peregrino dos Caminhos de Santiago, um  poeta popular de cidade.  Pedro Grilo é único ! E dele imana uma profunda humanidade que lhe vem do fundo de sua alma e se manifesta na cultura de afetos. A ele quero aqui dedicar um poema de homenagem e grande apreço. C.M.S.
 












ELEGIA AO TROVADOR PEDRO GRILO

PEDRO, O JUSTO DOS JOGRAIS
GRILO, O  ARAUTO TROVADOR
NETO, DOS BONS ANCESTRAIS
TERCES ARMAS COM FERVOR

EM TUA CABEÇA O SOMBREIRO
EM TUA MÃO UMA LANÇA
ÉS UM QUIXORE BRASILEIRO
QUE NOS CONVOCA E ALCANÇA

ÉS  ESCUDEIRO SOLIDÁRIO
EM COMBATES COLOSSAIS
CAVALEIRO SOLITÁRIO
EM TEUS VERSOS MADRIGAIS

MARCASTE JÁ O TEU TEMPO
ÉS UM ARTISTA POR INTEIRO
PARA NOSSO CONTENTAMENTO
ÉS SINCERO E VERDADEIRO

COM TUA ARTE E AFETO
ÉS LIVRE COMO O VENTO
POETA PEDRO GRILO NETO
NÃO TENS IDADE NEM TEMPO

PARABENS PELO ANIVERSÁRIO
E COMO TE TENHO EM APREÇO
E TAMBÉM SOU SOLIDÁRIO
TE HOMENAGEIO E AGRADEÇO

O MUITO QUE NOS TENS DADO
E COM MUITO AFETO CONFESSO
QUE CANTAS BEM E AFINADO
ESTE MUNDO TÃO CONTROVERSO

LONGA VIDA E FELICIDADES
E QUE CONTINUES A BRILHAR
ILUMINANDO OBSCURIDADES
CONVOCANDO JUSTOS OLHARES

Carlos Morais dos Santos
__________________________________________

Lúcia Helena Pereira - A Poetisa das Flores e do Amor, dedicou ao poeta Pedro Grilo, pelo seu aniversário ano passado, o poema que se segue:

DA POESIA PARA O POETA

Lúcia Helena Pereira


 







Pedro é nome forte da Bíblia - como pedra!
É o poeta que sempre canta e decanta poesia!
É sol luminoso sobre o imenso sombreiro
Ou simples boné e chapéu de cangaçeiro.
É tênue luar sobre os montes!

Da poesia para o poeta jorram sinfonias e versos lindos!
É Pedro Grilo, com seu estilo único, voz inconfundível,
Seus gestos displicentes, olhar inteligente e sorriso maroto
Fazendo festa em nossas emoções!

Fiz esse poemeto sem jeito, estrofes desajeitadas,
Tímidas, sem a ressonância musical do poeta,
Quando declama, canta, encanta, seduz e alumia!

Este humilde poema, sem rima, sem beleza,
Como pura explosão de alma,
Pelo aniversário de Pedro Grilo - festejado e louvado –
Vem dizer da Poesia para o Poeta,
Que ele é nosso orgulho, brasão de honra potiguar!

Salve! Ao poeta que faz e diz poesia,
Que chora, canta, brinca e não sai do tom,
O tom poético que já mereceu prêmios,
Que fez belos manifestos na terra de MÁRIO QUINTANA,
Que chegou ao céu, à lua, ao sol, ao vento, aos mares
Carregado por asas brancas de anjos - poetas!

Parabéns, Pedro Grilo, poeta de fina estirpe,
De ricas mensagens, célebres canções,
Do mais erudito ao mais popular,
OH! Grilo, teu nome é POEMA!
PEDRO GRILO NETO

 
Biografía:


















A poesia é uma arte que encanta muitas pessoas. E pra quem é apaixonado por essa incrível combinação de palavras, sons e sentimentos, não existe hora e nem local para apreciar uma boa poesia. É assim que pensa Pedro Grilo, poeta natalense que percorre as ruas da cidade recitando, escrevendo e buscando inspiração para suas poesias.
Conversar sobre história, artes, política e filosofia também faz parte da sua rotina. Na verdade, qualquer assunto serve como pretexto para fazer o que ele mais gosta: novas amizades.
O Café São Luiz, no Centro da cidade, é seu local preferido para encontrar os velhos amigos, conhecer novas pessoas e ler um bom jornal. O chapelão na cabeça, chama atenção de longe, e já virou marca registrada do figurino de Grilo.
Mas para Pedro Grilo, o figurino não importa. Importante mesmo é sair pelas ruas, botar o papo em dia e fazer amigos '

Pedro Grilo Neto nasceu em Natal no dia 30 de setembro de 1936. Freqüentou a escola até o curso primário. Autodidata, começou a escrever aos 15 anos. Para ganhar a vida, foi pintor de parede e de letreiros comerciais. Nas horas vagas dedicava-se à poesia e às trovas. Foi idealizador do jornal alternativo, mensal, O Pitiguari, no qual apresenta suas trovas e as trovas de outros autores potiguares. Lançou em 2000 o livro Mel e Cicuta e é membro efetivo da Academia de Trovas do Rio Grande do Norte, ocupando a cadeira de número 35, cujo patrono é Ponciano Barbosa. Também integra a Sociedade dos Poetas Vivos e Afins do Rio Grande do Norte e a União Brasileira de Trovadores. Participou de vários concursos ficando com o primeiro lugar em Passo Fundo/RS, na Fetrova, em 1977, e com o primeiro lugar no concurso Santa Terezinha de Jesus - UBT - RN, em 1999, em Natal.  Pedro Grilo Neto é também Cônsul em Natal da S.I. Poetas Del Mundo..

Ouçamos o Trovador Pedro Grilo, numa de suas principais facetas poéticas, que é a de denunciar e mostrar sua revolta pelos crimes e criminosos que atentam contra a Paz e o Planeta e contra a Humanidade:  

1.
Praça; sem estardalhaços...
O tempo abastema ruim,
Ao tirar de ti pedaços...
Tirou pedaços de mim!...]
2.
Na convivência nefária,
Avessa, a fazer o BEM...
Gente falsa insolidária,
É a desgraça, que mais tem!...]
3.
Na confraria troveira...
“Nas almas, da má vontade”
não é comum nem useira,
a cristã fraternidade...]
4.
Se ao ORBE, voltar, um dia
CRISTO, santo, e compassivo,
Pela espurca hipocrisia,
Será churrascado, vivo...]
5.
Não vim ao mundo, atenuar
nem esponjei suas falhas,
tampouco vim compactuar
cô as torpezas dos canalhas...
6.
Pelos confins da nação
nas mais longuícuas aldeias,
corre entre a população,
sangue de Negro nas veias...
7.
São sorrelfas, tais criaturas,
De brios deteriorados;
As de invejosas posturas,
Do Hades, dos recalcados...]
8.
Sem ver meu PAI, na rotina,
De convivência vezeira...
Uma saudade, ferina,
Me acicata, a alma inteira...]
9.
Buxe, e Yehud,, com sionismo
Com bruteza e tirania,
Com macabro terrorismo,
Impõe vil democracia...

Vejam, quanta ironia!...
Pra dois homens resgatar:
Não é justa a barbaria,
Ter que centenas, matar...

Blé, Satã- Buxe, e Ehud
Enviados de Satanás;
Engendros, da torpitude
São assassinos da PAZ...

Quando era Palestina,
Capital Jerusalém...
A PAZ reinava divina!...
Ninguém odiava ninguém!..

Consolidada a invasão,
A tirania campeia...
Genocídio e opressão,
Dos Judeus na pátria alheia...

Israel câncer nefasto,
Doença nocente e ferina,
É a metástase, do biasto,
Que coroe a Palestina...

O sionismo escabroso,
Invadiu a Palestina...
Cô apoio criminoso,
Da América assassina!...

Quando a Paz era hialina,
Numa perfeita harmonia,
A criança Palestina,
Mamava na mãe Judia...

Da mesma forma bendita...
Era comum a rotina;
A criança Israelita.
Mamava na mãe Palestina...

Na Palestina usurpada,
Com bombas pelo SIONISMO;
Qualquer resistência armada,
É perverso terrorismo...

A usurpação destruiu,
Toda PAZ e todo Amor...
Hoje onde o bem existiu,
Reina, ódio e o terror...
 

Pedro Grilo
_____________________________________

Mas o Poeta-Trovador e artista Plástico Pedro Grilo é  um feitor de fortes laços de amizade e quando escolhe as pessoas de quem gosta – às vezes instintivamente - sem necessitar de que o tempo venha confirmar aquilo que sua alma generosa de poeta já adivinhou nos outros: a identidade que ele descobre nos afetos e a que logo se entrega, com grandeza de alma e generosidade em apreços que, nalguns casos, têm menor valor do que Pedro Grilo atribui aos que muito aprecia. Foi assim, comigo. Conhecemo-nos em Natal, na SPVA-RN-Sociedade dos Poetas Vivos e Afins do Rio Grande do Norte-Brasil e, desde logo, aconteceu uma grande empatia entre nós e uma amizade recíproca que muito me gratifica. 

Uma de muitas provas dessa sua afeição por mim, demonstrou-a com a sua presença no ato da minha posse como Membro Efetivo do IHG-RN-Instituto Histórico Geográfico do Rio Grande do Norte, em Natal, em 2008, marcando com a sua sempre notória presença a sua solidariedade nesse ato e perante a tese que, então, apresentei. Outra manifestação da sua indefectível solidariedade afetuosa, foi quando, em Setembro de 2009 apresentei, em Natal, a convite, a minha exposição foto-poética Culturas e Afetos Natal-Lisboa, que configurava um evento multicultural com saraus de poesia, música, dança, com performances diárias.

Pedro Grilo vinha de longe, em transportes públicos ou de carona com algum amigo, mas não faltou a um só dia do evento, dando o seu apoio e contribuição nos saraus e, no dia do encerramento, me presenteou com um poema seu, dedicado a mim, que recitou e depois me entregou num belo papel artisticamente decorado,  poema que agora trago a público, nesta homenagem a Pedro Grilo. C.M.S.

ENCÔMIOS A CARLOS MORAIS DOS SANTOS
(Vinteneto)

Por ser escravo dos castos sentimentos,
De todos gestos, de infâmia, me recuso,
Vejo em ti, razões, pra meus argumentos;
Do teu carisma, o reverbero profuso,
Crebro promana, em todos momentos;
ESTIMADO CARLOS SANTOS, IRMÃO LUSO.

Os que te cercam, se encandeiam com teus lumes,
Plea maneira proba e assaz castiça,
Ante a postura da retidão que assumes;
Nossa veraz estima, a estuar atiça,
Arrebatado guardião dos bons costumes,
Vê-se em ti, mui digno hoplita da justiça.

Nesta terra que preserva um BAOBÀ
Cuna veneranda do nosso POTY,
Creias, que ardente, nas margens do POTENGY,
Tens o carinho da nossa SPVA.

O apreço por ti, que em demasia me atrai,
É a similitude que há em tua conduta,
Da retidão, denodada e resoluta,
TENS OS LAIVOS DA NOBREZA DO MEU PAI

Nas margens do teu TEJO, tem gaivotas,
Também é teu o nosso POTENGY,
Tens os dois; só temos um;
Mas temos o colibri e o anum.
E ainda, pra fazer NATAL feliz,
Matinais, nós temos, a orquestração
E o eco, que se espande na amplidão
Por canoros, tagarelas BEM-TE-VIS.

Pedro Grilo
Natal, Setembro de 2009

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Artistas e intelectuais brasileiros prestam homenagem a Saramago em São Paulo

Saramago - muitos amigos no Brasil

Chico Buarque e Pilar del Río participaram ontem, em São Paulo, numa homenagem a José Saramago, num dos espaços preferidos do Prémio Nobel da Literatura nesta cidade brasileira. O evento, em que a viúva do escritor português, três actrizes brasileiras e o cantor Chico Buarque leram excertos das suas obras, teve lotação esgotada. Foram também exibidas partes do documentário "José & Pilar" e o realizador brasileiro Fernando Meirelles esteve presente.

A homenagem incluiu uma sessão com leituras de passagens de livros do escritor português, na cidade escolhida em 2008 por José Saramago para o lançamento mundial de “A Viagem do Elefante". “José Saramago fez muitos amigos no Brasil, um dos mais próximos foi Chico Buarque, que aqui representa todos aqueles que o José deixou”, disse Luiz Schwarcz, editor de Saramago no Brasil.

Visivelmente emocionado, Schwarcz sublinhou que o local escolhido para a homenagem, o teatro do Sesc, recebeu diversas vezes o escritor português, falecido em Junho, para lançamentos de livros e palestras.

“Pilar, essa homenagem é sua e também é para você”, disse o editor, aplaudido por uma multidão que esgotou os bilhetes para o evento em poucos minutos, segundo a organização. Schwarcz disse que passou o dia a preparar algumas palavras para falar ao público presente e que resolveu dizer a seguinte frase sobre Saramago: “Quantos pais um homem perde no decorrer de sua vida?”.

Pilar del Río abriu a sessão de homenagem com a leitura de uma passagem de “As Intermitências da Morte”, e Chico Buarque encerrou o evento com um trecho de “O Ano da Morte de Ricardo Reis”.
Três actrizes brasileiras, Denise Weinberg, Bete Coelho e Lígia Cortez, revezaram-se no palco com a leitura de passagens de “Ensaio Sobre a Cegueira” e “Memorial do Convento”. Entre cada uma das leituras, foram exibidas imagens do documentário “José e Pilar”, do realizador português Miguel Gonçalves Mendes, e fotos do arquivo pessoal de Saramago.

No saguão do teatro, um livro foi deixado pela organização do evento para que o público escrevesse mensagens ao autor português. O livro, “um documento do carinho dos brasileiros por José Saramago”, segundo Luiz Schwarcz, será futuramente enviado para os arquivos da Fundação Saramago.

“Saramago continua vivo, obra e memória não o deixam morrer”, disse o diretor do teatro, Danilo de Miranda, para quem o autor português foi uma “voz altiva que não temia controvérsia”.

Dois dos principais jornais brasileiros - O Estado de São Paulo e a Folha de São Paulo publicaram
com destaque vastas referências ao evento.

Sete portugueses e dois angolanos na Bienal de São Paulo pela internacionalização da arte portuguesa

A presença portuguesa na próxima edição da Bienal de São Paulo faz parte da estratégia de internacionalização da produção artística de Portugal, disse um responsável pelo processo.

João Aidos, director-geral da Direcção-Geral das Artes (DG Artes), afirmou que a Bienal de São Paulo, como um dos mais importantes eventos de arte, é uma “grande oportunidade” para dar a conhecer a produção artística portuguesa.

“A ideia é apostar na internacionalização das artes plásticas dentro dos países lusófonos, e o Brasil é claramente uma aposta de divulgação da produção para galeristas, directores de museus e artistas”, disse.

Com abertura no próximo sábado, a 29ª edição da Bienal de São Paulo apresentará obras de 160 artistas de diversos países, com um público estimado de 300 mil visitantes até 12 de Dezembro. Como não há representações por países, como em edições anteriores, os sete artistas portugueses e dois angolanos que participam do evento deste ano foram convidados pelos organizadores.

Entre os convidados estão Pedro Barateiro, Pedro Costa, António Manuel e Artur Barrio (radicados no Brasil), Felipa César, Carlos Bunga e Maria Lusitano Santos. Os angolanos Yonamine (radicado em Lisboa) e Kiluanji Kia Henda também foram apoiados pela DG Artes, como parte da política de apoio a artistas africanos.

A participação portuguesa incluiu igualmente a escola Maus Maus, convidada pela organização para desenvolver um trabalho de integração entre jovens artistas durante o evento. Até Novembro, cinco alunos da escola permanecerão no Brasil para partilhar experiências com artistas brasileiros, sendo que o resultado dessa residência será transformado futuramente em uma exposição.

“Essa bienal terá um grande impacto porque o Brasil passa por um momento interessante, não se ouve falar de crises por aqui, ao contrário da Europa”, salientou a subdirectora da DGA, Fátima Pereira.

Com o tema “Política da Arte”, os organizadores querem aproximar o evento do quotidiano das pessoas, mostrando que a produção artística não pode ser dissociada da realidade.

Vídeo turístico de São Luís disputa prémio em Portugal

A cidade de São Luís, capital do Maranhão, estará representada no Festival Internacional de Filmes de Turismo – ART&TUR, que começa nesta quinta-feira (23) e se estende até à próxima segunda-feira (27), na cidade de Barcelos, Portugal.

O vídeo “São Luís, Capital Brasileira da Cultura 2009” (http://www.saoluis.ma.gov.br/), produzido pela Secretaria Municipal de Comunicação (Secom), disputará o prémio de melhor do mundo.

Mais de 150 filmes brasileiros foram enviados para o festival e, destes,  22 foram selecionados para a efetiva exibição e mostra competitiva. No evento, serão apresentados 169 vídeos de 38 países.

As temáticas dos filmes concorrentes são as mais variadas: destinos, ecologia, montanha, aventuras e expedições, turismo religioso, hotéis, gastronomia e vinhos, turismo náutico, eventos, experiências memoráveis, vida humana, biodiversidade, jovens talentos, turismo acessível e turismo cultural, categoria em que está o vídeo ludovicense.

Catedrático português participa em seminário jurídico internacional em Brasília

Realiza-se de 23 a 25 de Setembro, no Auditório do Superior Tribunal de Justiça, em Brasília, o VII Seminário Ítalo-Ibero-Brasileiro de Estudos Jurídicos. Tema em destaque: "Novos Rumos do Direito Processual".De Portugal, estará presente o Professor José Lebre de Freitas, catedrático da Universidade de Lisboa.

Inscrições pelo site: http://www.interlegis.gov.br/ ou na secretaria da UNILEGIS pelos telefones:61.3303-5201/2

Acesse a programação:
http://www.interlegis.gov.br/Members/tamara/programacao-do-vii-seminario-internacional-italo-ibero-brasileiro
Mais Informações:

INSTITUTO CAMÕES - EMBAIXADA DE PORTUGAL
SES Av. das Nações, Quadra 801, Lote 02 - CEP 70402-900 Brasília-DF
Tel: (0xx61) 3032.9600 - Fax: (0xx61) 3032.9634 - Site: www.institutocamoes.org.br
Mail: geral@institutocamoes.org.br

Filmes Portugueses no Festival de Cinema do Rio 2010

Portugal está representado no Festival de Cinema do Rio de Janeiro por sete longas-metragens.
Veja a seguir as sinopses e os horários das sessões dos filmes portugueses:

GUERRA CIVIL
de Pedro Caldas. Portugal, 2010. 90min.
Portugal, 1982. O adolescente Rui está passando o verão numa praia do Sul do país com a mãe, Helena. Enquanto o marido não chega, ela tem um caso com Zé, rapaz vinte anos mais novo. Mergulhado num mundo próprio, povoado de música e desenhos, Rui distancia-se cada vez mais de tudo. A única coisa que parece despertálo do autismo é Joana, moça cheia de vitalidade, que o fascina. Seu pai enfim chega e tenta com ele uma aproximação um tanto desastrada. O verão aproxima-se do fim e Rui permanece dividido entre seu mundo lúdico
e as pulsões sexuais da adolescência.
QUA (29/9) 14:15 Estação Botafogo 1
QUA (29/9) 20:15 Estação Botafogo 1
QUI (30/9) 17:20 Est Barra Point 1
DOM (3/10) 16:00 Est Vivo Gávea 1
DOM (3/10) 22:30 Est Vivo Gávea 1

JOSÉ & PILAR
de Miguel Gonçalves Mendes. Portugal / Brasil / Espanha, 2010. 125min.
A partir do registo do dia-a-dia da relação entre José Saramago e a jornalista espanhola Pilar Del Río, acompanhamos de forma intimista o casal na sua casa das ilhas Canárias e nas suas viagens pelo mundo. O ponto de partida é o processo de criação, produção e promoção do romance A Viagem do Elefante, desde o momento da construção da história, em 2006, até ao lançamento do livro no Brasil, em 2008. A ficção do romance reflecte o percurso do próprio autor, sendo a dura e custosa viagem do elefante um espelho dos seus desafios pessoais, entre a doença, o trabalho e o amor pela esposa.
SAB (25/9) 14:30 Espaço de Cinema 1
SAB (25/9) 19:00 Espaço de Cinema 1
TER (28/9) 15:20 Estação Ipanema 2
TER (28/9) 19:40 Estação Ipanema 2
DOM (3/10) 18:00 Cine Glória

FRAGMENTOS DE UM DIÁRIO
de Marco Martins, André Príncipe. Portugal, 2010. 90min.
Concebido como uma espécie de diário de viagem ou caderno de notas, o filme apresenta o encontro dos realizadores com alguns dos mais significativos fotógrafos japoneses contemporâneos. Conversando sobre as obras, eles propõem uma reflexão sobre a natureza da criação de imagens e da narração de histórias, além do próprio processo do diário. Acima do tema, está o registo artístico do filme, que se inspira no trabalho dos retratados para criar uma visão pessoal de alguns dos mais importantes fotógrafos actuais e dos espaços que fotografam.

TER (28/9) 16:00 Cine Glória
QUI (30/9) 16:00 Oi Futuro em Ipanema
QUI (30/9) 20:00 Oi Futuro em Ipanema
SEX (1/10) 13:30 Estação Botafogo 3
SEX (1/10) 17:30 Estação Botafogo 3


A ESPERANÇA ESTÁ ONDE MENOS SE ESPERA
de Joaquim Leitão. Portugal, 2009. 120min.

Lourenço tem 15 anos e estuda numa prestigiosa escola particular, onde será premiado como melhor aluno. Seu pai, Francisco Figueiredo, é um treinador de futebol em ascensão, cuja equipa foi classificada para a final da Taça de Portugal. Mas, quando tudo não podia estar mais perfeito, Francisco é demitido por se negar a fazer algumas concessões exigidas pelo clube. Lourenço é então transferido para uma escola pública frequentada por jovens de um gueto próximo a Lisboa. Ao mesmo tempo que tenta adaptar-se à nova realidade, ele deve ajudar o pai a reencontrar a dignidade perdida.

QUI (30/9) 15:10 Est Vivo Gávea 4
QUI (30/9) 21:50 Est Vivo Gávea 4
SEX (1/10) 12:30 Espaço de Cinema 1
SEX (1/10) 19:15 Espaço de Cinema 1
SAB (2/10) 21:40 Est Barra Point 2


EMBARGOde Antonio Ferreira. Portugal / Espanha / Brasil, 2010. 83min.

Nuno vende sanduíches num carrinho de rua. Um dia, inventa uma máquina revolucionária, que promete transformar a indústria de calçado: um digitalizador de pés. Sem condições de produzí-la sozinho, tenta vender a invenção, mas sem sucesso. Nuno depara-se com uma grande dificuldade e torna-se obcecado com a possibilidade de atingir o sucesso e realizar os seus sonhos. Quando fica estranhamente preso dentro do seu carro, e perde com isso uma oportunidade única de produzir o seu invento, vê subitamente a sua vida embargada. Adaptado do conto homónimo de José Saramago.

SEX (1/10) 17:20 Est Barra Point 1
DOM (3/10) 13:00 Estação Ipanema 1
DOM (3/10) 17:20 Estação Ipanema 1
SEG (4/10) 14:00 Estação Botafogo 1
SEG (4/10) 20:00 Estação Botafogo 1

AMÉRICAde João Nuno Pinto. Portugal / Espanha / Rússia / Brasil, 2010. 111min.
Victor, um charlatão, e Liza, atraente jovem russa, vivem num precário e caótico bairro nos arredores de Lisboa. Quando a ex-mulher de Victor volta para Portugal propondo- lhe que iniciem um negócio de falsificação de passaportes, a casa torna-se num nicho de vigaristas e falsários em busca do próximo esquema. Com a chegada de imigrantes do Leste europeu, Liza descobre um novo amor e vislumbra uma nova perspectiva de negócios, cujas consequências são inesperadas.

SEX (24/9) 16:00 Est Vivo Gávea 1
SEX (24/9) 22:30 Est Vivo Gávea 1
SEG (27/9) 17:40 Est Barra Point 2
QUI (30/9) 12:30 Espaço de Cinema 1
QUI (30/9) 19:15 Espaço de Cinema 1 [


COMPLEXO: UNIVERSO PARALELOde Mário Patrocinio. Portugal, 2010. 75min.

Em 2007, dois irmãos portugueses decidem fazer um documentário no Complexo do Alemão, considerado o maior e mais perigoso aglomerado de favelas do Rio de Janeiro. Experimentando o que é acordar e dormir ao som de tiros e testemunhando ações da polícia, buscam dar conta do que é viver como simples habitantes deste universo paralelo, onde o poder do governo não chega. Lá convivem com D. Célia, mãe de oito filhos, crente que acha que tudo é possível.

SAB (25/9) 19:30 Odeon Petrobras
DOM (26/9) 16:00 Cine Glória
SEG (27/9) 13:50 Est Vivo Gávea 1
SEG (27/9) 20:20 Est Vivo Gávea 1
TER (28/9) 17:00 Cinema Nosso/ 20:00 Ponto Cine

Portugal presente na I Conferência Nacional da ILA Brasil – em João Pessoa

A professora universitária portuguesa Paula Escarameia, da Universidade Técnica de Lisboa, membro da Comissão de Direito Internacional da ONU, é uma das personalidades estrangeiras convidadas pela ILA (International Law Association) para participar na Iª Conferência “Ciência, Tecnologia e Inovação: seus Impactos sobre o Direito e as Relações Internacionais” que vai ter lugar em João Pessoa, capital da Paraíba, de 13 a 15 de Outubro.

A Conferência tem por objectivo propiciar à comunidade académica, diplomatas, profissionais do Direito, Relações Internacionais e a todos os interessados pelas questões globais contemporâneas uma discussão aprofundada sobre as conseqüências decorrentes das inovações tecnológicas nos fenómenos jurídico-políticos internacionais, nas suas mais variadas vertentes.

Para além das palestras programadas, o evento contará com um concurso de monografias (Prémio Presidente Epitácio Pessoa) e com a publicação de anais. Espera-se um público de cerca de 500 pessoas.

Estes são alguns dos temas que serão abordados durante a Conferência “Ciência, Tecnologia e Inovação: seus Impactos sobre o Direito e as Relações Internacionais”:

- Inovação e desenvolvimento nacional;
- O plano nacional de banda larga;
- E-government e governança eletrônica;
- Comércio Eletrônico;
- Tecnologia e paz: criminalidade cibernética;
- E-process e novas tecnologias no processo de investigação criminal;
- Privacidade e liberdade de expressão na era digital;
- Propriedade Intelectual;
- Tributação da inovação;
- Direito de Família em tempos de relações digitais;
- Novas tecnologias e segurança da informação
- E-procurement;
- Regulação das Telecomunicações;
- Direitos Humanos e novas tecnologias;
- Privacidade e Seguros;
- Mudanças climáticas e tecnologia;
- Registros eletrônicos de garantias;
- Uso da tecnologia na cooperação jurídica (carta rogatória, tomada de depoimentos, oitiva de testemunhas)

Embaixada do Teatro Brasileiro em Portugal

O Ministério da Cultura do Brasil, em colaboração com a Fundação Luso-Brasileira, enviou embaixadores do teatro a Portugal, para duas semanas de espectáculos. Objectivo: divulgar a cultura do país através da arte da representação. Portugal insere-se numa tournée que já passou pela América. A entrada é livre.

A denominação “Embaixada do Teatro Brasileiro” parece referir-se a algo institucional, mas é na verdade um grupo informal de teatro, actualmente em tournée mundial. Portugal é o actual destino, onde o grupo chegou dia 21, divulgou a produção do evento.

Depois de meio ano em viagem pela América Central, entre 22 de Setembro e 2 de Outubro será possível conhecer esta ‘Embaixada’ em Portugal, na Escola Superior de Teatro e Cinema, na Cinemateca Portuguesa ou até na oficial Embaixada do Brasil, em Lisboa.

O objectivo, refere a organização, é apresentar um panorama histórico do teatro brasileiro moderno através de oficinas de interpretação, palestras, apresentação de peças de teatro e exibição de um filme sobre o tema. A entrada é livre em todas as actividades.

A primeira actividade aconteceu já no dia 22, pelas 19h30, na Embaixada do Brasil, com uma Mesa-Redonda intitulada “Encontro de Dramaturgias Luso-Brasileiras”. Como oradores, estarão Armando Nascimento Rosa, Jorge Louraço Figueira, Miguel Castro Caldas e Mickael de Oliveira, moderados por Eugénia Vasques.

O Grande Auditório da Escola Superior de Teatro e Cinema recebe de 22 a 29 de Setembro, o workshop “Encarando a Personagem”, a 28 de Setembro, o seminário-espectáculo “Revista do Teatro Brasileiro”, e de 30 de Setembro a 1 de Outubro, às 21 horas, os Espectáculos “3 Cigarros e a Última Lasanha” e “Dentro”.

Por fim, a Cinemateca Portuguesa exibe, a 2 de Outubro, pelas 21h30, o filme “O Rei da Vela”.

A acompanhar este projecto, apoiado pelo Ministério da Cultura do Brasil, está o realizador Renato Rosatti, com a missão de elaborar um documentário sobre a passagem do grupo pelos vários países.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

PORTUGAL É LÍDER MUNDIAL NO TRANSPLANTE DE RIM


Caríssimos leitores,

Sobre a postagem que ontem publicámos sob o título acima, tivemos a grande satisfação e honra de termos recebido um comentário do próprio Ministério da Saúde do Brasil, evidenciando que também neste órgão governamental da saúde brasileira temos os nossos leitores. Não tivémos o gosto de saber quem foi a pessoa do Ministério que nos endereçou o estimulante comentário - o que nos permitiria não só agradecer pessoalmente, como daria mais autenticidade e autoridade à mensagem que nos foi enviada mas, em todo o caso, foi gratificante termos recebido o comentário e ter constatado que muitas das nossas postagens, como esta, também cumprem os nossos deveres e objectivos de fazermos cidadania nas páginas deste nosso Blog-Revista que se dedica à divulgação-promoção das culturas lusófonas, no sentido lato, dando a conhecer eventos, notícias e divulgando acontecimentos, ações, obras e autores nos campos das letras, artes e ciências, no espaço lusófono.

É óbvio que o editor deste blog fica muito feliz por tudo o que de qualidade, de notável e de distinção, se faz, ocorre e enaltece qualquer parte do espaço lusófono, seja no espaço dos países da CPLP, seja nos espaços dos lusófonos da diáspora. Mas, como português, é compreensível que o editor do "Culturas e Afectos Lusófonos" fique ainda mais feliz, quando tem a oportunidade de publicar postagens que enaltecem Portugal, como foi o caso da postagem em título.

Abaixo transcrevemos o comentário recebido e acrescentamos que se consideramos que postagens em que distinguimos o que de bom e melhor se vai fazendo nos espaços lusófonos, são da nossa parte  publicações que caracterizam os objectivos deste blog e que interessam aos nossos leitores, neste caso, são, também, o cumprimento dos nossos deveres de cidadania. E mais ainda nos sentimos a fazer bem a nossa parte, quando veiculamos agora nesta outra postagem, o apelo que nos faz o comentário que nos deixou o Ministério da Saúde do Brasil, que é o de contribuirmos para a divulgação e incentivo para a doação de órgãos, doação esta que ainda é um superior acto de cidadania e de solidariedade humana, e que, não obrigando a quaisquer sacrifícios ou esforços, e sendo até simples e fácil de concretizar, como é explicado no comentário, está ao alcance de todos os verdadeiros cidadãos, preocupados com os seus semelhantes que sofrem.

Carlos Morais dos Santos
Editor do Blog C.eA.L.

COMENTÁRIO:
Ministério disse...
Olá blogueiro,
É muito importante também incentivar a doação de órgãos e conscientizar as pessoas sobre a importância deste gesto de solidariedade.
Para ser doador de órgãos não é preciso deixar nada por escrito. O passo principal é avisar a família sobre a vontade de doar. Os familiares devem se comprometer a autorizar a doação por escrito após a morte. Divulgue a ideia e salve vidas!
Para mais informações: comunicacao@saude.gov.br
Ministério da Saúde

Embaixada do Teatro Brasileiro em Portugal

O Ministério da Cultura do Brasil, em colaboração com a Fundação Luso-Brasileira, enviou embaixadores do teatro a Portugal, para duas semanas de espectáculos. Objectivo: divulgar a cultura do país através da arte da representação. Portugal insere-se numa tournée que já passou pela América. A entrada é livre.

A denominação “Embaixada do Teatro Brasileiro” parece referir-se a algo institucional, mas é na verdade um grupo informal de teatro, actualmente em tournée mundial. O grupo chegou ontem, dia 21.09, a Portugal.

Depois de meio ano em viagem pela América Central, entre 22 de Setembro e 2 de Outubro será possível conhecer esta ‘Embaixada’ em Portugal, na Escola Superior de Teatro e Cinema, na Cinemateca Portuguesa ou até na oficial Embaixada do Brasil, em Lisboa.

O objectivo, refere a organização, é apresentar um panorama histórico do teatro brasileiro moderno através de oficinas de interpretação, palestras, apresentação de peças de teatro e exibição de um filme sobre o tema. A entrada é livre em todas as actividades.

A primeira actividade acontece já hoje, dia 22, pelas 19h30, na Embaixada do Brasil, com uma Mesa-Redonda intitulada “Encontro de Dramaturgias Luso-Brasileiras”. Como oradores, estarão Armando Nascimento Rosa, Jorge Louraço Figueira, Miguel Castro Caldas e Mickael de Oliveira, moderados por Eugénia Vasques.

O Grande Auditório da Escola Superior de Teatro e Cinema recebe de 22 a 29 de Setembro, o workshop “Encarando a Personagem”, a 28 de Setembro, o seminário-espectáculo “Revista do Teatro Brasileiro”, e de 30 de Setembro a 1 de Outubro, às 21 horas, os Espectáculos “3 Cigarros e a Última Lasanha” e “Dentro”.

Por fim, a Cinemateca Portuguesa exibe, a 2 de Outubro, pelas 21h30, o filme “O Rei da Vela”.

A acompanhar este projecto, apoiado pelo Ministério da Cultura do Brasil, está o realizador Renato Rosatti, com a missão de elaborar um documentário sobre a passagem do grupo pelos vários países.

Centenário da República Portuguesa assinalado em Brasília

A Universaidade de Brasília/UnB, em colaboração com a Embaixada de Portugal/Instituto Camões, assinala com um seminário, no próximo dia 4 de Outubro, os 100 anos da República Portuguesa.

No dia 5, às 19h30m, no Auditório do Instituto Camões, os Professsores Maria Angélica Madeira (Ciências Sociais da UnB), e Renato Leça, (Universidade Federal do Rio de Janeiro -UFRJ) proferem conferência sobre os 50 Anos de Brasilia e os 100 Anos da República Portuguesa.

A REPÚBLICA DAS LETRAS NA UNBDATA: 04 de Outubro de 2010 às 09:00
LOCAL: Teatro Externo da FIOCRUZ/UNB

09 horas - Abertura

Helder Macedo (King´s College Londres): Teixeira-Gomes no universo da Primeira República
Mônica Figueiredo (UFRJ): Eça e a literatura de testemunho
Coordenação: João Vianney Cavalcanti Nuto (UnB)

REPÚBLICA, MODERNIDADE E POESIA

Paula Morão (U.Lisboa): Antecedentes da modernidade de Orpheu
Rogério Santana (UFG): Fernando Pessoa e a República Portuguesa
Coordenação: Hilda Lontra (UnB) Teresa Cerdeira (UFRJ) e Helena Buescu (U. Lisboa)

14h A LIBERDADE REENCONTRADA: O ROMANCE PÓS-25 DE ABRIL

Lúcia Helena Marques Ribeiro (UnB)

Maria de Fátima Marinho (U. Porto): O romance de José Saramago
Lúcia Helena Marques Ribeiro (UnB): O romance da Guerra Colonial
Edvaldo Bergamo (UnB): O romance de Lídia Jorge
Coordenação: Ana Laura dos Reis Corrêa (UnB)

16h A VOZ DOS ESCRITORES: LITERATURA E CIDADANIA

Ana Luisa Amaral
Helder Macedo

Lídia Jorge
Coordenação: Teresa Cerdeir
CENTENÁRIO DA REPÚBLICA PORTUGUESA (1910-2010)
DATA: 05 de Outubro de 2010 às 19.30
HORA:19h30
LOCAL: Centro Cultural do Instituto Camões/Embaixada de Portugal/Avenida das Nações, SES, Quadra 801, Lote 02, Brasília
Entrada franca
Para mais informações:
geral@institutocamões.org.br
ou pelos Telefones: 61.30329616/7/8

Brasil: Jovens luso-descendentes debateram reforma da língua e associativismo

A reforma da língua portuguesa, o turismo em Portugal, a questão da dupla-nacionalidade e o associativismo foram temas debatidos pelos jovens luso-descendentes que participaram no II Encontro da Juventude Luso-Brasileira, realizado na Casa de Portugal de São Paulo.

Realizado pelo Grupo Infante que actua no âmbito da Federação das Associações Portuguesas e Luso-Brasileiras, o encontro decorreu entre 4 e 6 deste mês com o objectivo de discutir temas actuais e fazer chegar aos jovens “informações pouco disseminadas” na comunidade portuguesa, e consideradas “de grande valia”, destacava uma informação veiculada no site da Conselho da Comunidade Luso-Brasileiro do Estado de São Paulo (CCLB), organizadora da edição deste ano.

Idealizado pela direcção da Federação das Associações Portuguesas e Luso-brasileiras, o Encontro teve a sua primeira edição em 2009, no Real gabinete Português de Leitura do Rio de Janeiro.

Na sua segunda edição, que teve lugar na Casa de Portugal de São Paulo, o Encontro reuniu jovens luso-descendentes dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná, de acordo com Caio Rocha Torrão, integrante da Directoria da Juventude do Conselho da Comunidade Luso-Brasileiro do Estado de São Paulo (CCLB). Segundo o mesmo responsável, 81 por cento dos participantes não tinham estado presentes no primeiro Encontro, em 2009.

O turismo em Portugal foi o primeiro de vários temas debatidos ao longo do segundo dia do Encontro. Paulo Machado, presidente da Comissão Europeia de Turismo e director do Turismo de Portugal no Brasil falou sobre «Tradição e Modernidade – A aposta do Turismo de Portugal» e sublinhou que este é um bom momento para Portugal, pois a demanda brasileira está mais qualificada e mais numerosa. “È chique visitar Portugal”, é assim que os brasileiros vêem Portugal, país que tem uma oferta, também, de excelência para o público jovem”, afirmou o responsável.

Vera Amatti, jornalista e professora, debateu a «Reforma da Língua Portuguesa: suas aplicações e os principais impactos e mudanças», tendo recordado aos participantes que as novas normas ortográficas “estarão valendo de facto” somente a partir de 2013 e que “todos devem se lembrar que a gramática é a matemática da Língua Portuguesa”.

«Desmistificando a Dupla-Cidadania» foi o terceiro tema do Encontro, com o advogado André Pinto de Souza a responder a muitas dúvidas dos participantes.

As «Oportunidades de Estudo na Graduação e Pós-Graduação em Portugal e nos Países de Língua Portuguesa» foram apresentadas por José Jorge Peralta. O professor afirmou que há no mundo 260 milhões de pessoas falando a língua portuguesa, o que representa um grande universo de potência cultural, já que o português é a terceira língua mais falada no Ocidente e a quinta em todo o mundo.

António Almeida e Silva falou sobro o último tema em debate - «Associativismo: o que foi no passado, acontece hoje e poderemos fazer no futuro», e destacou que os movimentos associativos existem desde o século passado, importantes para a integração dos portugueses na sociedade brasileira. “As associações representam um papel fundamental na integração. São os espaços vivos do nosso amor a Portugal. Temos 150 associações luso-brasileiras neste País, das quais 40 no Estado de São Paulo. Trata-se do espaço de interlocução de nossa cultura. Todas têm um espaço de actuação para os jovens e precisamos fortalecer este património associativo”.

O II Encontro da Juventude Luso-Brasileira foi uma iniciativa do Grupo Infante que actua no âmbito da Federação das Associações Portuguesas e Luso-Brasileiras, que tem por objectivo atrair os jovens para os movimentos que visam a aproximação e o intercâmbio entre os países de Língua Portuguesa, nas áreas associativa, cultural, desportiva, económica e social.

O evento contou com a participação do cônsul geral de Portugal em São Paulo, José Guilherme Queiroz de Ataíde, dos deputados Carlos Páscoa Gonçalves e José Cesário, do representante da Federação das Associações Portuguesas e Luso-Brasileiras, Felipe Mendes, além de responsáveis de 12 associações da comunidade e vários directores do CCLB.

XI Encontro dos Secretários-Gerais da CPLP

Os secretários-gerais dos Parlamentos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) discutem desde segunda-feira, dia 20, em Maputo, Moçambique, as formas de melhorar a gestão e modernização das suas administrações na prestação do apoio técnico ao trabalho dos parlamentares.

Trata-se do XI encontro e o segundo a ter lugar em Moçambique que, entre outros assuntos, deverá debater a importância da pesquisa para o funcionário parlamentar.
 
Deverão ser apreciados ao longo dos cinco dias do evento, os relatórios nacionais de actividade do país anfitrião e de Angola, Brasil, Cabo Verde, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor. Serão ainda debatidos temas como a incidência da crise financeira na Assembleia da República de Portugal, a questão da autonomia financeira no Parlamento de São Tomé e Príncipe e o papel do funcionário parlamentar na constituição e preservação do acervo documental – o caso de Moçambique.
 
A utilização da língua portuguesa nas reuniões plenárias da União Interparlamentar constitui também um dos temas a ser debatidos no XI encontro dos secretários-gerais da CPLP, que se vão inteirar do projecto de criação do centro de estudos e formação parlamentar para o fortalecimento e desenvolvimento de recursos humanos na Assembleia da República e do seu plano estratégico para o período 2011-2014.
 
A Associação dos Secretários-Gerais dos Parlamentos de Língua Portuguesa (ASGPLP) foi criada em Lisboa, em Janeiro de 1998. No encontro, os membros-fundadores definiram como objectivos a promoção do desenvolvimento da cooperação técnico-parlamentar; contribuição para a modernização das instituições parlamentares e facilitação do contacto pessoal e institucional dos seus membros.

A cidade de Corumbá -Brasil fundada pelos Portugueses há 232 anos

Corumbá, capital do pantanal sul-mato-grossense, assinalou, dia 21 de setembro, 232 anos de vida e história. Junto à fronteira com a Bolívia, a cidade foi fundada em 1778 pelo português Luiz Albuquerque, para impedir os avanços dos espanhóis pela fronteira brasileira em busca de ouro.

O nome, de origem tupi-guarani curupah, significa "lugar distante", mas a cidade, que tem a cor clara do seu solo, rico em calcário, também é conhecida por Cidade Branca.

Arraial de Nossa Senhora da Conceição de Albuquerque foi o primeiro nome do vilarejo, que se transformaria no principal entreposto comercial da região, elevado a Distrito em 1838 e, em 1850, a Município.

A ocupação desta região teve início quando a expectativa de encontrar ouro fez com que a área pertencente ao município fosse explorada pelos portugueses, que começaram a chegar ao local em 1524.

Durante a Guerra do Paraguai foi palco de uma das principais batalhas e a Freguesia de Santa Cruz de Corumbá, nome que passou a ter, foi ocupada e destruída por tropas de Solano Lopez, em 1865.

A partir de 1870, ao ser retomada pelo tenente-coronel António Maria Coelho, a cidade começou a ser reconstruída. Na mesma época, imigrantes europeus e de outros países sul-americanos chegaram à cidade. O fim da guerra e o estabelecimento desses estrangeiros impulsionaram o desenvolvimento de Corumbá, que passou a ter o terceiro maior porto da América Latina até 1930.

Até à década de 50, os rios Paraguai, Paraná e Prata eram os únicos meios de comunicação da região. Assim, a cidade vivia sob a influência dos países da Bacia do Prata, dos quais herdou grande parte dos seus costumes, hábitos e linguagem; isso ocorreu naturalmente devido à sua localização fronteiriça e ao isolamento físico que sofria na época.

No início do século XX, porém, a chegada da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil deslocou o eixo comercial do sul do estado - na época ainda Mato Grosso - para Campo Grande. Os grandes comerciantes locais mudaram-se para outras cidades e Corumbá passou a priorizar comercialmente a exploração mineral.

A cidade iniciou actividades industriais na década de 1940, com a exploração das reservas de calcário - excelente para a indústria do cimento - e outros minérios. No final dos anos 1970, o turismo começou a ser explorado, revelando nova infra-estrutura e viabilizando a restauração das construções históricas.

Com o Pantanal ocupando 60 % do seu território, Corumbá passou a ser chamada Capital do Pantanal, constituindo-se como principal porta de acesso ao santuário ecológico. Hoje, com cerca de 100 mil habitantes, Corumbá é uma das principais cidades do Mato Grosso do Sul.

Laurentino Gomes, escritor-historiador brasileiro vai abrir Festival Literário da Festa Portuguesa de Cabo Frio


Laurentino Gomes, autor do bestseller “1808″, e do recém-lançado “1822″, estará em Cabo Frio para a abertura do Festival Literário da Festa Portuguesa, dia 8 de Outubro, no Teatro Municipal.

Jornalista e pós-graduado em administração, Laurentino Gomes trabalhou no Estado de São Paulo e na revista Veja, além de ter sido director da Editora Abril. Nascido em Maringá, o autor tornou-se um dos mais lidos do Brasil, e também de Portugal, já que “1808″ se manteve na lista de mais vendidos nos dois países por três anos consecutivos. E foi com o sucesso meteórico de “1808″ que o escritor ffez jus aos prémios Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, nas categorias Melhor Livro de Reportagem e Livro do Ano de Não-Ficção e também recebeu o prémio Melhor Ensaio de 2008 pela Academia Brasileira de Letras.

A Festa Portuguesa, em Cabo Frio, entra na sua sexta edição propondo reviver a ligação da cidade, a sétima mais antiga do Brasil, com o país dos grandes descobridores, de que conserva inúmeros vestígios e reminiscências.

A expectativa é que a Festa Portuguesa reúna na cidade, logo no seu primeiro final de semana alargado, de 8 a 12 de outubro, feriado da Padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, mais de 200 mil pessoas. O evento prossegue até dia 17, domingo, com uma série de atracções culturais e outros eventos celebrando a relação Brasil-Portugal.

Lisboa indicada para "Melhor Destino do Mundo" no World Travel Awards

Lisboa, que alia tradição histórica e modernidade, foi nomeada para três categorias, incluindo a de"Melhor Destino do Mundo", do prestigiado prémio do turismo mundial, o World Travel Awards, cuja 17ª edição terá lugar dia 7 de novembro, em Londres.

A capital portuguesa foi nomeada para ás categorias de "Melhor Destino do Mundo", "Melhor Destino de Cruzeiro do Mundo" e "Melhor Porto de Cruzeiros do Mundo", concorrendo com Londres, Maldivas, Miami, Nova York, Rio de Janeiro, Sydney, Bahamas, Copenhague, Istambul, Xangai, Estocolmo, Cidade do Cabo, entre outros.

O Prémio do World Travel Awards, considerado o mais importante do turismo europeu e um dos mais conceituados do mundo, foi instituído em 1993.

Os WTA foram criados com o intuito de reconhecer e celebrar a indústria do turismo, estimulando a competitividade e a qualidade no sector turístico mundial, promovendo os melhores destinos e serviços prestados.

A escolha das cidades premiadas é realizada por meio de votação online no endereço www.worldtravelawards.com, e conta com a participação de milhares de profissionais de viagem e turismo de 183 mil agências de viagens, em mais de 160 países em todo o mundo.

Na última edição do evento, em 2009, Lisboa recebeu os prêmios nas categorias de "Melhor Destino Europeu", "Melhor Destino para City Breaks Europeu" e "Melhor Destino de Cruzeiro Europeu".

Azulejos lusitanos

Basta observar a herança deixada pelos portugueses nas paredes do Brasil, em cidades como São Luís, Belém, Recife, Olinda, Rio de Janeiro e Ouro Preto, entre muitas outras, para ter uma ideia de como o azulejo foi e é importante na cultura nacional. É consenso dizer que ele constitui uma expressão ao mesmo tempo popular e requintada da arte que se faz no país.

Em Portugal, os primeiros trabalhos em azulejo remontam ao século XV, na região de Aveiro, e vieram como herança dos árabes que dominaram a Península Ibérica, entre os séculos VIII e XV. Aliás, a palavra azulejo vem do árabe al zulaic, algo como pedra polida, lisa. Apesar de não serem os inventores, foram os portugueses que, em cinco séculos, produziram os azulejos com maior qualidade, tanto no campo artístico quanto na durabilidade.

A pedra lisa e polida entrou em Portugal e ficou incrustada na história lusitana. No início, revestia paredes com padrões ritmados, mas também passou a contar histórias de santos, anjos, navegantes, batalhas e tudo que diz respeito à história portuguesa. Santas como Catarina e Teresa de Ávila e outros como São Roque, São Paulo e São Lourenço, todos de grande devoção, são apenas alguns que tiveram a vida contada em painéis de azulejos.

Publicado primeiro dicionário de Língua Gestual Portuguesa

O primeiro Dicionário de Língua Gestual Portuguesa foi  apresentado no passado dia 21.09, na cidade do Porto - Portugal. Esta é uma obra de Ana Bela Salazar, que trabalha desde 1994 como intérprete de língua gestual.

"Apercebi-me que a sociedade surda, mas também quem quer aprender língua gestual encontra bastantes dificuldades, porque não há material", disse a autora.

Ana Bela Salazar sentiu que, "cada vez mais", a inexistência de um dicionário de língua gestual era uma lacuna a preencher: "Trabalhei alguns anos no ensino e vi como os professores, especialmente os mais novos, encontravam muitos obstáculos para ensinar as crianças surdas", contou.

Os objectivos da obra são: tentar diminuir as dificuldades de aprendizagem da língua gestual, sobretudo ao nível da interpretação do português, e possibilitar que as crianças surdas encontrem, na escola, imagens que facilitem a sua comunicação.

Organizado especificamente para o contexto português, o Dicionário de Língua Gestual Portuguesa disponibiliza mais de 5200 entradas, todas elas acompanhadas por imagens ilustrativas e pela descrição de todos os gestos, enriquecida com ícones e setas. Tem também um alfabeto gestual ilustrado e a lista de todas as palavras que sofrem alteração com o Acordo Ortográfico, com indicação da nova grafia.

Inclui um DVD, que tem vídeos com todas as entradas presentes na obra.

"A reacção das pessoas superou as minhas expectativas, as pessoas na área estão muito contentes", revelou a intérprete oficial da Rádio Televisão Portuguesa e da Associação de Surdos do Porto.

Ana Bela Salazar afirmou que um dicionário de Língua Gestual Portuguesa era uma urgência há muitos anos, mas que "nunca ninguém tinha tido a coragem de fazê-lo".

Em Portugal a comunidade de surdos ultrapassa as 150 mil pessoas.

Encontro reforça articulação entre fundações de língua portuguesa

O objetivo é repensar o modelo de cooperação para o desenvolvimento, cujos projectos sejam inovadores, dinâmicos, sustentáveis e que realmente promovam o trabalho em rede e o fortalecimento das organizações da sociedade civil. Nesse sentido, é necessário que as fundações invistam na formação, na qualificação técnica e na criação de lideranças fortes e fomentem o empreendedorismo e inovação social.

Estas são algumas das conclusões finais do VII Encontro de Fundações da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), que aconteceu em São Paulo e Rio de Janeiro, nos dias 12 e 16 de setembro. Promovido pelo Centro Português de Fundações, Fundação Roberto Marinho e o GIFE, o evento reuniu cerca de 100 representantes das fundações e institutos desses países.

“Os sucessivos encontros têm colocado em evidência o capital de convocação das fundações da CPLP, ou seja, a nossa capacidade de forjar parcerias setoriais ou intersetoriais ou de fazer convergir esforços e vontades, em cada momento, no sentido de encontrar as soluções mais adequadas e sustentáveis para o desenvolvimento das sociedades que procuramos servir”, sintetizou o presidente do Centro Português de Fundações, Emílio Rui Vilar.

Segundo ele, depois de Portugal, Cabo Verde, Angola, Moçambique e São Tomé e Príncipe, a realização do Encontro no Brasil surgiu como natural. “Os encontros têm uma óbvia dimensão de capacitação institucional das fundações que neles participam e o Brasil se destaca nessa perspectiva.”

A carta final com as conclusões do VII Encontro de Fundações da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), lida no final do evento, passará ainda por uma consulta aos participantes para ser depois divulgada oficialmente.

Jorge Couto, português, tomou posse como sócio-correspondente do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia

Tomou posse dia 17 de Setembro, como Sócio Correspondente do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia, o Director da Biblioteca Nacional de Portugal, Professor Jorge Couto, tendo a apresentação do novo associado sido feita pelo Professor Edivaldo Boaventura.

No decurso da cerimónia, em que também esteve presente o Presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Dr. Rui Vilar, foi salientado o valioso contributo do Professor Jorge Couto para a historiografia brasileira, tendo este por sua vez referido a sua intenção de passar a vir com mais frequência a Salvador e ao Brasil para participar em eventos relacionados com a História.

A associação do Professor Jorge Couto ao Instituto insere-se, nomeadamente, no grande esforço de ligação desta instituição a Portugal levado a cabo pela sua Presidente, Professora Consuelo Pondé de Sena, que por sua vez é Membro da Academia Portuguesa de História.

Portugal é líder mundial em transplantes de rim

Portugal é líder mundial em transplantes de rim e de fígado em apenas dois anos. Depois de ter conseguido liderar na transplantação hepática em 2008, o País conseguiu ultrapassar Espanha nos transplantes renais, no ano passado.

Os dados foram divulgados pela Newsletter Transplant, publicação da Organización Nacional de Transplantes e do Conselho da Europa.

Maria João Aguiar, coordenadora nacional das unidades de colheita da Autoridade para os Serviços de Sangue e da Transplantação aplaude os resultados: “Conseguimos manter-nos na liderança do transplante do fígado e ultrapassámos a Espanha no transplante renal com dador cadáver, que é a forma ideal”. A diferença entre os dois países era mínima em 2008. Espanha fazia 44,9 cirurgias por milhão e Portugal 44,8. Agora, Portugal atingiu as 50 operações por milhão enquanto Espanha fez 44,8.

A Noruega apresenta um resultado global melhor no transplante de rim, mas baseia-se sobretudo na dádiva de órgãos em vida, que deve ser o último recurso, já que depende da dádiva altruísta das pessoas. Se Portugal fez 56,1 transplantes por milhão de habitantes (incluindo seis da doação em vida), a Noruega alcançou os 60,8. Porém, comparando apenas os dados de dador cadáver, Portugal ultrapassa largamente a actividade da Noruega com 50 transplantes contra 39,2.

Quase todo os transplantes subiram em 2009. Na colheita por milhão de habitantes, Portugal fica em segundo lugar logo depois de Espanha. Uma subida de 16% num ano, para os 31 dadores de órgãos por milhão de habitantes. Espanha que “continua a ser líder na actividade, têm um grande programa, mas quando mais alto se está mais difícil é ultrapassar essa barreira”, disse.

Os transplantes de fígado caíram no ano passado para 24 por milhão, quando em 2008 estavam em 25,8. Apesar disso, o País continua a ser o maior transplantador.

Salvo esta excepção, houve melhorias em todas as áreas: o cardíaco subiu de 3,9 para 4,4 cirurgias por milhão, número ainda assim abaixo do necessário devido à escassez de órgãos. Também nos pulmões houve melhorias: fizeram-se 11 transplantes no Hospital de Santa Marta (mais 7). O transplante de pâncreas subiu de 1,34 para 1,9.

Investigador português galardoado com Prémio Internacional Viktor Ambartsumian

Entregue pela primeira vez este ano, o Prémio Internacional Viktor Ambartsumian distingue cientistas que se destacaram na área da astrofísica e áreas adjacentes (física e matemática).

Este ano, o prémio, no valor de 500.000 dólares (aproximadamente 385.000 euros) foi entregue a três investigadores, entre os quais, um português - Nuno Cardoso Santos, astrónomo do Centro de Astrofísica da Universidade do Porto e autor de 128 artigos sobre o tema. Os outros dois investigadores galardoados foram Michel Mayor, astrónomo e professor suíço da Universidade de Genebra, e Garik Israelian, astrofísico arménio, actualmente a trabalhar nas Ilhas Canárias.

O prémio foi atribuído aos três investigadores pelo trabalho desenvolvido no estudo das estrelas, em torno das quais orbitam planetas, fenómeno fundamental para a compreensão dos processos que levam à formação de novos planetas.
Viktor Ambartsumian (1908 - 1996, de seu verdadeiro nome Viktor Hambardzumyan) foi um cientista Soviético nascido na Arménia, sendo considerado um dos pioneiros no estudo da astrofísica teórica, tendo recebido a Medalha de Ouro Lomonossov (1971), o Prémio Estaline (1946, 1950) e sido galardoado com o título de Herói Nacional da Arménia.

Ensaísta e pensador português Eduardo Lourenço em Belém do Pará

A Literatura de Portugal é importante e respeitada no Brasil pela sua qualidade, pelos autores e pela produção. É por estes e outros tantos motivos que o Encontro de Pensamento Contemporâneo, evento que reuniu o ensaísta português Eduardo Lourenço e o filósofo, ensaísta e escritor paraense Benedito Nunes, foi ímpar.

O encontro aconteceu no passado dia 18.09, no miniauditório do Instituto de Ciências Jurídicas (ICJ), da Universidade Federal do Pará (UFPA). A entrada foi franca e o evento foi aberto à comunidade académica.

A vinda de Eduardo Lourenço a Belém deve-se à professora da Faculdade de Letras (FALE) Camila do Valle, cuja dissertação de mestrado sobre o ensaísta português é única no mundo. As questões levantadas pela pesquisadora foram respondidas por Eduardo Lourenço num livro publicado em 2006, intitulado A morte de Colombo ou o Fim do Ocidente como mito. A publicação finda com o capítulo Carta a Camila.

“Eduardo Lourenço é um renomado pensador e ensaísta português, e este evento foi um importante encontro para o pensamento contemporâneo no Ocidente, já que a pessoa com quem ele foi se encontrar é um amigo seu e um dos principais ensaístas brasileiros, o professor Benedito Nunes”, comentou a professora Camila do Valle no convite para a participação no evento.

"Nos anos em que vivemos, pós-coloniais, o estudo e a releitura de obras de autores portugueses, da Literatura e da Cultura Portuguesa podem nos servir de estímulo ao questionamento e à reflexão sobre as heranças deixadas por um passado comum", lembrou a professora. No entanto, nesse passado comum, há muitas cicatrizes e um patrimônio histórico traumático, tendo em vista a releitura que se faz hoje do que foi a experiência colonial. Então, acho importante ressaltar essas ideias para que não façamos uma leitura acrítica do evento, como se já não vivêssemos num momento pós-colonial", destacou Camila do Valle.

O ensaísta - O livro do ensaísta português publicado no Brasil é Mitologia da Saudade. Considerado, hoje, o maior ensaísta português vivo, Lourenço, cumprindo 60 anos de atividade literária e filosófica e já com 86 de vida, comemorados em 2010, vem recebendo o merecido reconhecimento por parte da crítica, não só no âmbito da cultura lusófona, mas também nos cenários europeu e norte-americano.

Em 1995, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) outorgou-lhe o título de Doutor Honoris Causa e foi a primeira instituição a distingui-lo com esse tipo de homenagem. Em 1996, houve a atribuição do Prémio Camões e, em 1998, a do Prémio Europeu de Ensaio Charles Veillon, seguida pela medalha do mérito cultural do governo francês, entre outras distinções.

Fundação Gulbenkian, de Portugal, lança livros no Brasil

No passado dia 17 de Setembro, às 18h30min, o Museu de Arte da Bahia e a Fundação Calouste Gulbenkian lançaram em Salvador duas importantes obras patrocinadas pela prestigiada fundação portuguesa.

Trata-se de "Rio de Janeiro: Capital do Império Português ( 1808-1821)", sob direcção do Professor Jorge Couto, Director da Biblioteca Nacional de Lisboa, e "Património de Origem Portuguesa no Mundo, Urbanismo e Arquitectura", coordenado pelo historiador José Mattoso, edição dedicada à América do Sul. Na cerimónia, estiveram presentes, entre outras personalidades, o embaixador de Portugal no Brasil, João Salgueiro, a directora do Museu de Arte da Bahia, Sylvia Athayde, o Presidente da Fundação Calouste Gulbenkian, Rui Vilar, a secretária-geral da Fundação Eugénio de Almeida, Maria do Céu Ramos, a presidente da Fundação Bissaya Barreto, Patrícia Viegas Nascimento, a directora-geral da Fundação António de Almeida, Eugénia Aguiar-Branco, e o Cônsul Geral de Portugal em Salvador, João Sabido Costa.

Este foi o terceiro evento de lançamento das obras no Brasil. Os outros dois tiveram lugar em São Paulo, dia 13.09, no auditório Fernand Braudel da USP - Universidade de São Paulo, e no Rio de Janeiro, dia 15.09, no Real Gabinete Português de Leitura.

Ferreira Gullar recebeu, no Rio de Janeiro, o Prémio Camões 2010


A Fundação Biblioteca Nacional entregou no passado dia 16 de Setembro, no Rio de Janeiro, o Prémio Camões 2010 ao poeta Ferreira Gullar.

Todos os anos, por acordo entre os Governos de Portugal e do Brasil, a Fundação, em conjunto com outras instituições culturais dos dois países, distingue um autor de Língua Portuguesa que tenha contribuído para o património literário e cultural do idioma.

Gullar foi o escolhido deste ano numa reunião realizada pelo júri do Prémio Camões em maio, no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa.

A cerimónia teve lugar no Auditório Machado de Assis da Biblioteca Nacional. Estiveram presentes, entre outras individualidades, o presidente da Fundação Biblioteca Nacional, Muniz Sodré, o conselheiro cultural da Embaixada de Portugal e director do Instituto Camões no Brasil, Adriano Jordão, e o académico Murilo Melo Filho, da Academia Brasileira de Letras.