TOP BLOG 2010

TOP BLOG 2010

Boas Vindas a esta comunidade de Culturas e Afetos Lusofonos que já abraça 76 países

MÚSICA DE FUNDO E AUDIÇÃO DE VÍDEOS E AUDIOS PUBLICADOS

NÓS TEMOS TODO O EMPENHO EM MANTER SEMPRE MÚSICA DE FUNDO MUITO SELECIONADA, SUAVE, AGRADÁVEL, MELODIOSA, QUE OUVIDA DIRETAMENTE DO SEU COMPUTADOR QUANDO ABRE UMA POSTAGEM OU OUVIDA ATRAVÉS DE ALTI-FALANTES OU AUSCULTADORES, LHE PROPORCIONA UMA EXPERIÊNCIA MUITO AGRADÁVEL E RELAXANTE QUANDO FAZ A LEITURA DAS NOSSAS PUBLICAÇÕES.

TODAVIA, SEMPRE QUE NAS NOSSAS POSTAGENS ESTIVEREM INCLUÍDOS AUDIOS E VÍDEOS FALADOS E/OU MUSICADOS, RECOMENDAMOS QUE DESLIGUE A MÚSICA AMBIENTE CLICANDO EM CIMA DO BOTÃO DE PARAGEM DA JANELA "MÚSICA - ESPÍRITO DA ARTE", QUE SE ENCONTRA DO LADO DIREITO, LOGO POR BAIXO DA PRIMEIRA CAIXA COM O MAPA DOS PAISES DOS NOSSOS LEITORES AO REDOR DO MUNDO.

quarta-feira, 21 de março de 2012

CARLOS MORAIS DOS SANTOS, PUBLICA HOJE O POEMA "PAI", EM VIRTUDE DA EFEMÉRIDE DO DIA DOS PAIS SER EM PORTUGAL CELEBRADA A 19 DE MARÇO

 

Como em Portugal, se celebra o DIA DOS PAIS, a 19 de Março, venhoho aqui deizar o meu poema, dedicado  Meu Pai, apesar dos dois dias já passados, em que razões e impossibilidade editorial, só agora me permitiram fazer esta publiação:



P A I

Eu me lemnbro muito bem,

PAI

Do carinho do teu olhar
Do calor das tuas mãos
Do belo som da tua voz
 
Eu me lembro muito bem,

PAI

Da sabedoria das tuas palavras
Do brilho do teu pensamento
Da humanidade das tuas lutas

 Eu me lembro muito bem,

PAI

Da força do teu Saber-Ser
Do bom gigante que sempre foste
Da generosidade dos teus atos

Eu me lembro muito bem,

PAI

Como amaste a Liberdade
Como te bateste pelos humilhados
Como defendestes os ofendidos
 
Eu me lembro muito bem,

PAI

Porque em mim estás bem presente
E me ensinas muito para além
Do teu repouso permanente...
Porque tudo em ti, é meu também
 
Eu me lembro muito bem,

PAI

Como chorei por não te ter
Ao meu lado naquele dia
De verde-esperança do amanhecer
De uma Nova Pátria que se renascia
Em Abril a florescer
Em Liberdade e Democracia

 Eu me lembro muito bem

PAI

Como arriscaste a liberdade
em lutas por justa razão
De amares a igualdade
Dos Direitos do Cidadão
Por sentires a fraternidade
Em atos de compaixão
Como sonhaste com a claridade
Que se iluminasse em Revolução !

Eu me lembro muito bem,

PAI

Das rugas do teu bom-humor
No canto dos teus olhos, rindo
Do calor do teu grande amor
Das tuas mãos grandes se
abrindo !

 Eu me lembro muito bem,

PAI

Da tua lição de digna vida
De lutares por uma nova sociedade
Mais justa, mais livre, e mais unida,
Teu combate contra a tirania e a maldade
Dos teus sonhos de progresso em igualdade
Das tuas coajosas lutas pela justa Liberdade
Que jamais se vergaria de joehos, sem dignidade
Mas morreria em pé, como as árvores, pela vida !

Eu me lembro muito bem,

PAI

Porque em ti eu me quereria sempre rever
Porque em ti eu sempre consigo encontrar
Um exemplo de vida, de coragem e de SER
Que em selhantes lutas me consegues revigorar !



LITERATURA LUSO-BRASILEIRA EM JORNADA - REALIZAÇÃO DA EDITORA PEIRÓPOLIS, EM SÃO PAULO, NO PRÓXIMO DIA 27 DE MARÇO

Editora realiza em São Paulo Jornada Luso-Brasileira de Literatura




A editora Peirópolis realiza, no dia 27 de março, das 10h às 18h, na Casa das Rosas (São Paulo), a Jornada Luso-Brasileira de Literatura. Durante o evento, que contará com oficinas gratuitas e debates, haverá o lançamento de um Catálogo de Literatura Portuguesa.

Para Renata Borges, editora da Peirópolis – que conta com uma linha editorial dedicada à literatura portuguesa - a Jornada é uma forma de fortalecer as pontes lusófonas e divulgar a cultura portuguesa no Brasil. “Preparamos este evento e o lançamento do Catálogo de Literatura Portuguesa para apresentar aos professores a história da formação da língua portuguesa, desde as cantigas no galego-português até Gil Vicente, com pontes para autores da contemporaneidade”, afirma.

A produção do catálogo comemorativo ficou a cargo da especialista em literaturas lusófonas, Susana Ventura, responsável também pela curadoria da Jornada. “A linha editorial do catálogo foi construída ao longo dos anos com o apoio de diferentes especialistas e escritores como Bartolomeu Campos de Queirós, Nelly Novaes Coelho e Denyse Cantuária”, destaca.

A especialista também lançará no evento o livro: Convite à navegação – uma conversa sobre literatura portuguesa com a presença da Profª. Drª.Beatriz Weigert, das universidades de Évora e de Lisboa.

JORNADA LUSO-BRASILEIRA DE LITERATURA
Local: Casa das Rosas Endereço: Av. Paulista, 37 - Bela Vista – São Paulo.
Telefone: (11) 3285.6986 / 3288.9447
Para mais informações acesse aqui

PRÉMIO LUSO-BRASILEIRO DE DRAMATURGIA ANTÓNIO JOSÉ DA SILVA´´E



Ao Prémio Luso-Brasileiro de Dramaturgia António José da Silva, que já vai na 6.ª edição, podem concorrer cidadãos portugueses e brasileiros, com um ou mais textos originais, em língua portuguesa, não editados e não encenados.

Além de ser um incentivo para o surgimento de novos autores, o Prémio António José da Silva tem como objetivo impulsionar a escrita dramática em todos os géneros e reforçar as parcerias de desenvolvimento e cooperação cultural entre Portugal e o Brasil.

A obra premiada será editada nos dois países e o autor da obra vencedora recebe um prémio no valor de 15 mil euros.

Candidaturas abertas até 14 de abril de 2012.
 
 

ENCONTRO EM LISBOA DE DRAMATURGOS BRASILEIROS E PORTUGUESES



Aproveitando a passagem por Lisboa de um grupo de dramaturgos brasileiros que integram um intercâmbio apoiado pelo Ministério da Cultura do Brasil, surge esta proposta de encontro em Lisboa, ampliando assim as redes de contacto entre as práticas dramatúrgicas do Brasil e Portugal.

O encontro em Lisboa, organizado por Escrita Teatral em Portugal (Rede informal no Facebook), tem o apoio do Mestrado das Artes Cénicas do Departamento de Ciências da Comunicação da FCSH-UNL, irá realizar-se no dia 23 de Março, entre as 15h e as 18h, na Sala Multiusos 2, piso 4 ID do Edifício Investigação e Desenvolvimento, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

O encontro entre as 15h e as 18h será fechado e a partir das 18h30 será aberto á participação do público. Os dramaturgos que queiram participar no encontro fechado deverão indicá-lo até dia 21 de Março, para o email escritateatral@gmail.com.

De referir que o projecto de intercâmbio que os traz a Portugal, e onde se integra o projecto Capitanias Dramatúrgicas, propõe-se juntar oito dramaturgos brasileiros e oito dramaturgos portugueses, e irá realizar-se no Teatro Académico Gil Vicente, em Coimbra (estando prevista a criação de cenas e leitura dramatizada no dia 31 de Março).

Apoios:

Mestrado de Artes Cénicas do Departamento de Ciências da Comunicação da FCSH-
UNL | Projecto Capitanias Dramatúrgicas |Associação Portuguesa de Dramaturgos e
Argumentistas
 
 

sexta-feira, 16 de março de 2012

CARLOS MORAIS DOS SANTOS REALIZA A SUA 4º. EXPOSIÇÃO DE FOTOGRAFIAS EM NATAL-BRASIL, NO EMBLEMÁTICO "TEATRO ALBERTO MARANHÃO", NUM EVENTO MULTICULTURAL COM CANTARES E DANÇAS


Foto de Carlos Morais dos Santos

A Diretora do “TAM”, Dione Caldas, tem o prazer de convidar em nome de toda a Diretoria, a participar em mais um multicultural e especial “CAFÉ COM ARTE”, a realizar no dia 29 de Março de 2012, às 17,30H, quinta-feira, no Salão Nobre do “TAM”. Desta vez temos um programa mais multicultural e artístico, que inclui uma exposição de dois temas de fotografias do escritor, poeta e fotógrafo Carlos Morais dos Santos e duas palestras, a propósito desses temas, uma feita pela Professora, escritora e psicanalista Selma Calasans Rodrigues, sobre as origens e significados dos Carnavais, e outra pelo próprio autor das fotografias, que explicará, com a projeção de Slides, aspetos ligados aos dois temas expostos. Como habitualmente na programação dos “CAFÉ COM ARTE”, teremos no final, a atuação no jardim do TAM de um grupo de música “CANTARES” e de um grupo de dança “SUPREMACIA DA DANÇA”. BEM VINDOS A ESTE “CAFÉ COM ARTE”!

Eis o cartás do evento:



sexta-feira, 9 de março de 2012

CARLOS MORAIS DOS SANTOS CELEBRA O DIA MUNDIAL DA MULHER COM ALGUNS POEMAS E FOTOS SUAS

  TRIBUTO DE HOMENAGEM À MULHER




M Ã E

No teu lindo olhar azul,
Sereno como um lago,
Na beleza do teu rosto,
Na formosura do teu corpo,
Na sabedoria do teu pensar,
No humor espontâneo do teu espírito,
Na tenacidade da tua vontade,
Na suavidade do teu amar,

Eu me revejo, me repouso, a contemplar-te !

Na longínqua lembrança do teu ventre,
Na líquida quentura desse berço imaginado,
Nos cuidados maternais em meus momentos de perigos,
Nos primeiros e renovados passos em que me ajudaste,
Na minha infantil vaidade de gostar de te acompanhar,
Na recordação da magia daquelas noites de Natal,
Nos sabores inesquecíveis que só tu me ofereceste,
Nas lições silenciosas que todos os dias sabias dar,

Eu me realimento, rejuvenesço e revigoro !

E o que vejo, sempre, Mãe ?

É uma linda mulher, sóbria, segura e sábia,
Sorrindo com o mesmo sorriso,
Na mesma face de sempre,
Igual até aos teus 95 anos,
Com que te recolheste, serenamente,
Como sereno foi sempre,

O teu lindo olhar azul !



************************

 PRESENÇA

No íntimo de um homem qualquer,

há sempre uma mulher

Por detrás

De um homem importante

Há sempre uma mulher “bastante”

A mulher é a forte onipresença !

O homem… é a frágil onipotência !

Por isso… A MULHER EXISTE !
*******************



TODAS AS MULHERES SÃO BONITAS

São sempre bonitas as mulheres amadas, generosas no amar !

Como coloridas flores que geram frutos suculentos de sabor

Como árvores que nos estendem seus ramos de abraçar

Como aves em vôos largos que desenham danças de condor

Como esperançosos rios se abrem mais no caminho para o mar

Como montanhas dão aos vales beleza e mistérios sem temor

Como a pedra se transforma num íntimo desejo de se afeiçoar

Como a chuva fertiliza regando a terra com sentido de recompor

Como estrelas cintilantes enchem olhos com a ternura no brilhar

Como o Sol fertilizante dá energia à vida que se funde com fervor

Como abelhas dando mel que seus corpos geram em doce laborar

Como o beija-flor sempre voa pairando em beijos de eterno amor !

São sempre bonitas as mulheres amadas, generosas no amar....

Em qualquer momento, tempo e lugar !



****************************


MESMO QUE...

Mesmo que:

A descrença assalte,
As dúvidas abalem,
O sentir enfraqueça,
A rotina mecanize,
Os silêncios pareçam vazios,
Os gestos se ausentem,
As emoções escasseiem,
Os encontros se esqueçam,
Os vulcões se apaziguem,

Os nossos rios se fundem num mar!
As nossas paisagens permanecem intocáveis,
O nosso jardim se renova a cada primavera,
A nossa luz vem do mesmo sol,
O nosso amanhecer tem as mesmas alvoradas,
A nossa noite contempla o mesmo luar,
O nosso caminho tem a mesma estrada,
Partilhamos a mesma caminhada,
As nossas mãos continuam entrelaçadas!

E, juntos:

Subiremos a mesma montanha,
Olharemos o mesmo vale,
Respiraremos o mesmo ar,
Saberemos, solidários, descansar,
À sombra das acácias já plantadas!
Que, sendo duas, se unem pelas raízes,

Como:

As águas dos rios se fazem mar,
A montanha se ergueu a partir do vale,
O mar se fez de muitos rios,
O céu se completa nas estrelas,
O tempo se faz de muitos momentos,
O amor se constroi como uma pirâmide,
Mais densa e ampla na base que a começa,
Mais depurado no vértice em que culmina,
Para melhor resistir às temporalidades,
Para ser beleza maior, olhada à distância,
Em que se alisam as formas irregulares,
Se suavisam as arestas alisadas pelo tempo,
Em que a geometria se completa, perfeita,
Porque o tempo é o sábio invisível da harmonia,
Porque o tempo só existe na beleza e no amor,
Materiais eternos de longo e difícil processo de fusão,
Que se moldam à mistura com sofrimento e dôr,
Que formam o sentido da existência no universo!

E é, por tudo isto, que te amo e te amarei sempre
Na unidade, na totalidade e no disperso,
No diverso, no anverso e no verso !






Carlos Moris Dos Santos
Professor Universitário
Consultor Internacional em 
Desenvolvimento Estratégico Sustentado
 Escritor, poeta, fotógrafo


Membro da Academia Portuguesa de Letras, Artes e Ciências
Membro da Socieade (Portuguesa) de Geografia de Lisboa
Menbro da Liga Portuguesa dos Diretos Humanos-Civitas
Membro do Cnselho Superior Português de ÉTica e Responsabilidade Social
Membro da Sociedade Portuguesa de Estudos do Século XVIII 
Membro do IHG - Instituto Histórico e Geográico do RN, Brasil
Membro do Conseho Consultivo da UBE-RN-União Brasileira de Escritores,RN, Brasil
Membro da SPVA-Sociedade dos Poetas Vivo e Afins, RN, Brasil
Cônsul em Lisboa da Asociação Internacional "Poetas Del Mundo"
Membro da SPVA-Sociedade de Poetas Vivos e Afins do RN, Brasil 

LISBOA É A CAPITAL MAIS SEGURA DA EUROPA


Lisboa Moderna2

Eurostat diz que Lisboa, a capital de Portugal, é a cidade europeia mais segura. Portugal ocupa a 14.ª posição no ranking de países

Os números estão no último relatório do Eurostat, o organismo de estatística da União Europeia. Lisboa é a capital europeia com menos crimes de homicídio registados no período compreendido entre 2007 e 2009. Nos três anos, mostram as estatísticas, aconteceram na capital portuguesa uma média anual de 0,48 homicídios por cada 100 mil habitantes.

O segundo lugar do ranking – que também contabilizou, além dos homicídios, a prática de eutanásia e os infanticídios – é ocupado pela capital da Eslovénia, Liubliana, a que se seguem Madrid (Espanha), Bucareste (Hungria) e Viena (Áustria). Mais para o fim da tabela aparecem cidades como Praga, com uma média anual de 2,74 crimes; Dublin com 2,33; Berlim com 1,93 ou Londres, que apresenta um registo de 1,92, sempre para cada 100 mil habitantes.

Segundo o Eurostat, a cidade mais violenta da Europa, tendo em conta o indicador dos homicídios, é Amsterdão, capital da Holanda – onde há registo de uma média de 3,65 crimes por ano. Em Valeta, a capital de Malta, não terá acontecido qualquer homicídio ou infanticídio entre 2007 e 2009, mas como o país só tem 400 mil habitantes não entrou para o ranking, que só contempla os países com mais de meio milhão de pessoas.

Ranking por países Na lista de países com menos homicídios, Portugal ocupa a 14.a posição. A Áustria é o país mais seguro, seguido pela Eslovénia, pela Alemanha e pela Espanha. Olhando a tabela ao contrário, o ranking de países com mais crimes de homicídio é encabeçado pela Lituânia. A Estónia, a Finlândia, a Bulgária e a Roménia também apresentam, globalmente, as maiores taxas de homicídio, eutanásia e infanticídio, segundo os números do Eurostat.

Criminalidade geral
No que se refere à criminalidade global, e segundo dados da PSP, em 2011 registaram-se uma média de 547 crimes por dia em Lisboa e no Porto. Mais de metade (60%) das quase 22 mil ocorrências participadas às autoridade dizem respeito a furtos e roubos.

O crime mais referenciado, quer em Lisboa quer no Porto, é o roubo e os assaltos a carros. No ano passado, foram assaltadas ou roubadas, por dia, uma média de 60 viaturas – o que perfez um total de 22 mil crimes.

Além destas situações, segundo o relatório anual da PSP, foram ainda denunciados 114 roubos violentos de automóveis com utilização de arma de fogo e isto só no primeiro semestre de 2011. O segundo tipo de crime mais frequente são os assaltos a residências.

A PSP – que tem a seu cargo o policiamento das zonas urbanas – identificou, no ano passado, uma média diária de 30 assaltos. O terceiro lugar da lista de principais crimes tem sido ocupado, nos últimos anos, pelo carteirismo: só no espaço de 12 meses, a PSP diz ter recebido cerca de nove mil participações.
 
 

SEIXAS PEIXOTO, ARTISTA PLÁSTICO PORTUGUÊS EXPÕE "OURO SOBRE AZUL" EM CURITIBA, BRASIL



 
Sob o título genério “Ouro Sobre Azul", o  artista plástico português Seixas Peixoto expõe,  a partir de  09 de março, no Memorial de Curitiba, um conjunto de trabalhos em filigrana. São 25 peças de variadas dimensões, fruto de um ano de pesquisas e seis meses de trabalho.

A exposição - de alguma forma, um prelúdio do Ano de Portugal no Brasil estará patente ao público até ao dia 08 de abril e tem o patrocínio do Vice-Cônsul de Portugal na capital do Paraná, Rogério Vieira.

"Ouro Sobre Azul" descreve a trajetória do ouro português, transformado em história, por meio da técnica da filigrana portuguesa: grânulos de ouro dispostos em fios que escorrem pelas telas. Um método tradicional de execução de jóias praticado, principalmente, na região norte de Portugal.

Para Seixas Peixoto, o objetivo  é fazer com que os espectadores sintam a riqueza cultural da ourivesaria portuguesa: “Eu espero que as pessoas sintam a ‘portugalidade’ da ourivesaria nesta exposição em tela, valorizando, assim, o trabalho artesanal em ouro”, afirma. 


Filigrana Portuguesa

‘Grânulos de ouro destilados em filamentos’: assim se define a técnica da filigrana. Para se conseguir este efeito, colocam-se dois fios de ouro - com a espessura aproximada de um fio de cabelo - juntos e, com a ajuda de duas tábuas e um movimento de vai - vem, os fios  enrolam-se um no outro,  criando a ilusão de grânulos sequenciais.

É bem possível que as principais técnicas de fabrico de ourivesaria (repuxo, soldadura, granulação e filigranação) tenham nascido na antiga Mesopotâmia, hoje território do sul do Iraque, e de lá irradiado para todos os povos. Para o Mediterrâneo e Ocidente, com os Fenícios; para o Oriente, pelos mercadores da rota da seda; e, posteriormente, para a costa oriental da África, pelos árabes.

Os etruscos (povo que antecedeu os romanos) desenvolveram a granulação à máxima perfeição, dispondo dezenas de milhares de microscópicos grânulos em pequenas jóias, formando figuras geométricas, isomórficas ou florais. Esta técnica acabou por desaparcere, retornando posteriormente sob a forma de imitações de qualidade muito inferior.

Com a técnica da filigrana obtém-se o mesmo aspecto estético da granulação, mas com muitíssimo menos trabalho. Se os etruscos foram o expoente máximo na granulação, os portugueses são, atualmente, os que fabricam a mais fina e bela filigrana do mundo.

Manuel Rodrigues de Freitas
Museu da Ourivesaria Tradicional Portuguesa

Seixas Peixoto:
1.º lugar no Concurso Imagem da Europeade 92.
2.º lugar ‘Ex-Aequo’: Concurso Nacional de Cooperativas.
Vencedor, por várias vezes, de concursos para cartazes e medalhística.
Troféu Pinheiro do Paraná pela escultura comemorativa dos 500 Anos do Descobrimento do Brasil.

Representações
Em diversas coleções privadas e de organismos públicos nacionais e estrangeiros.
Museus:
Dr. Santos Rocha – Figueira da Foz.
Municipal de Soure, S. Jorge – Açores.
Centro Histórico Sala do Cabido da Misericórdia das Velas/ Museu de Arte
Contemporânea da Amadora.
Museu do Ouro Francês, Pyramide Cité de L'Ore, Saint - Amand - Montrond, França.
No Brasil:
Prefeitura de São José dos Pinhais, Paraná
Serviço:
Exposição: Ouro Sobre o Azul
Artista Plástico: Seixas Peixoto
Local: Memorial de Curitiba
Data: de 09 de março a 08 de abril

Para mais informações acesse: http://seixaspeixoto.weebly.com ou ligue para: (41) 9696-0290 – Naiara Fachini (Jornalista); (41) 9957-6101 - Seixas Peixoto. 
 
 

DESCOBERTA DE CANHÕES DO SÉCULO XVII NA ZONA PORTUÁRIA DO RIO DE JANEIRO SURPREENDE ARQUEÓLOGOS E HISTORIADORES



Desde o início das obras, arqueólogos já encontraram três canhões do século XVII (Foto: Divulgação/ Secretaria municipal de Obras)

A descoberta de dois canhões do início do século XVII, durante escavações na região portuária da cidade, surpreendeu tanto historiadores militares quanto arqueólogos, que, desde fevereiro de 2011, buscam vestígios do comércio escravagista do século XIX.

Segundo a professora Tânia Andrade de Lima, que coordena os trabalhos na região, a existência de uma bateria de canhões na orla, próxima ao Morro da Conceição, era desconhecida pelos historiadores. Ela disse que os canhões, aterrados ao longo dos anos, podem ser os mais antigos do Brasil. Pesando cerca de 1 tonelada cada, os canhões faziam parte de um esquema de defesa num período em que o Rio de Janeiro era alvo de muitas tentativas de invasão.

A CONFRARIA BRASIL-PORTUGAL DE DIVINÓPOLIS, DE MINAS GERAIS-BRASIL É UMA ATIVA ASSOCIAÇÃO CULTURAL DESDE 2008



image

A Confraria Brasil-Portugal é uma associação civil e cultural, sem fins lucrativos, com sede e foro em Divinópolis, Minas Gerais, na Avenida Antônio Olímpio de Morais, 560/1001. Foi criada no dia 28 de junho de 2008, em São José dos Salgados e oficializada no dia 8 de dezembro do mesmo ano.

A Confraria, cuja presidente é a escritora Maria de Fátima Quadros, tem atualmente 74 membros. A associação cultural tem por finalidade exclusiva difundir a cultura, a língua, a literatura, as ciências e as artes em geral no Brasil e em Portugal; designadamente divulgar poetas, escritores e artistas brasileiros e portugueses, preservar, difundir e promover a cultura dos dois países, incentivando e realizando estudos/seminários, estabelecendo relações e intercâmbio, promovendo eventos.

A Confraria dispõe de uma biblioteca de autores brasileiros e portugueses, à disposição dos interessados. 
 
 
 

O ESTADO BRASILEIRO DO PARÁ MOSTROU SUA CULTURA NA BOLSA DE TURISMO DE LISBOA


Cristino Martins/Ag. Pará

A riqueza cultural e a religiosidade do povo paraense foram destaque na Bolsa de Turismo de Lisboa (BTL), que aconteceu em Portugal de 29 deste mês a 4 de março. Os ritmos da música e dança, sabores da culinária e, claro, a fé católica da Amazónia vão ser levados pela Companhia Paraense de Turismo (Paratur) a Portugal junto com a Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, símbolo da devoção que se manifesta em outubro de cada ano na grande festa do Círio de Nazaré.

Segundo o presidente da Paratur, Adenauer Góes, a ação é resultado de um esforço conjunto do governo federal, por meio da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur), Governo do Pará, Diretoria da Festa de Nazaré, Fundação Carlos Gomes e Clero Católico Português. Esta é a primeira vez que a Imagem Peregrina irá atravessa o  Atlântico.


CARLOS FINO, O DISTINTO JORNALISTA CONSELHEIRO DE IMPRENSA DA EMBAIXADA DE PORTUGAL NO BRASIL, FOI AGRACIADO COMO "CIDADÃO HONORÁRIO DE BRASILIA"

TRIBUTO DE HOMENAGEM
O deputado Aylton Gomes (PR - Partido da República) entregou recentemente, em nome da Câmara Legislativa do Distrito Federal, o título de Cidadão Honorário de Brasília a Carlos Fino - jornalista da RTP, televisão pública portuguesa - que desde 2004 exerce o cargo de Conselheiro de Imprensa da Embaixada de Portugal no Brasil.

Primeiro jornalista do mundo a reportar o início do bombardeamento a Bagdá, capital do Iraque, na última Guerra do Golfo, em 2003, Carlos Fino manifestou, na altura, grande disponibilidade em colaborar com a media brasileira, tendo relatado os acontecimentos para diversas rádios e televisões do Brasil, facto que não passou despercebido na capital federal..

Convidado pela TV Cultura, de São Paulo, a visitar o país logo a seguir à guerra, o jornalista português foi alvo de expressiva homenagem, realizada em Brasília  no dia 19 de Maio de 2003, por iniciativa do então deputado Chico Floresta (PT-Partido dos Trabalhadores).

Vicissitudes  e desencontros vários fizeram com que a entrega  do diploma fosse sendo sempre adiada. Agora, porém, tendo em conta que Carlos Fino cessou as suas funções oficias na Embaixada, a Câmara Legislativa organizou  uma pequena cerimónia em que se procedeu à entrega formal da distinção.

No encontro, Carlos Fino agradeceu a distinção,  reiterou a sua disponibilidade para continuar a colaborar com a media brasileira e defendeu mais e melhores contactos entre os órgãos de comunicação social dos dois países,  contribuindo dessa forma para desenvolver e reforçar ainda mais  as relações entre Portugal e o Brasil.

CARLOS MALHEIRO DIAS, ESCRITOR PORTUGUÊS (1875-1941) - EVOCAÇÃO DE HOMENAGEM A GRANDES FIGURAS LUSO-BRASILEIRAS

TRIBUTO DE HOMENAGEM



Escreve Fabrizia de Souza Carrijo, da USP, na Revista Convergência Lusíada, do real Gabinete Português de Leitura, do Rio de Janeiro:

"Mais conhecido como o autor do romance A mulata (1896), que gerou grande polêmica no meio intelectual luso-brasileiro, Carlos Malheiros Dias é dono de uma vasta e profícua produção literária hoje pouco conhecida e reconhecida que, em diversos sentidos, revela um forte engajamento político e social em relação ao momento em que viveu.

Sem dúvida, foi dotado de grande sensibilidade, fazendo com que se tornasse um escritor muito conceituado, além de atuar como uma espécie de mediador cultural entre as literaturas brasileira e portuguesa, sendo ele mesmo possuidor de dupla nacionalidade.

Historiador, jornalista, diplomata, ficcionista, contista e cronista, Carlos Malheiros foi considerado um dos mais talentosos escritores portugueses. Em 1941, por conta de seu falecimento, Fialho d’Almeida o descreve como “esperado da seleção, possuidor de uma alma forte, uma cabeça sonhante e de um coração baboso de ternura, casando as realidades da vida com um poder de ideal transfigurante. São essas, qualidades por excelência, que traçam o perfil dessa figura luso-brasileira”. (ALMEIDA, 1941, p. 110).

O escritor nasceu no Porto em 1875. Era filho de Henrique Malheiros Dias, português, e de Adelaide Caroline Pereira de Araújo, natural do Rio Grande do Sul. (...)

De tudo o que podemos apreender sobre o percurso de Carlos Malheiros Dias, o que mais se evidencia é a sua vontade de aproximar Brasil e Portugal. Se no plano político as duas nações já não tinham mais como constituir uma unidade, no plano cultural Portugal e Brasil poderiam ainda formar um único e só reinado literário de língua portuguesa, restaurando ao menos em parte a monarquia luso-brasileira, cujo fim tanto lamentara."