TOP BLOG 2010

TOP BLOG 2010

Boas Vindas a esta comunidade de Culturas e Afetos Lusofonos que já abraça 76 países

MÚSICA DE FUNDO E AUDIÇÃO DE VÍDEOS E AUDIOS PUBLICADOS

NÓS TEMOS TODO O EMPENHO EM MANTER SEMPRE MÚSICA DE FUNDO MUITO SELECIONADA, SUAVE, AGRADÁVEL, MELODIOSA, QUE OUVIDA DIRETAMENTE DO SEU COMPUTADOR QUANDO ABRE UMA POSTAGEM OU OUVIDA ATRAVÉS DE ALTI-FALANTES OU AUSCULTADORES, LHE PROPORCIONA UMA EXPERIÊNCIA MUITO AGRADÁVEL E RELAXANTE QUANDO FAZ A LEITURA DAS NOSSAS PUBLICAÇÕES.

TODAVIA, SEMPRE QUE NAS NOSSAS POSTAGENS ESTIVEREM INCLUÍDOS AUDIOS E VÍDEOS FALADOS E/OU MUSICADOS, RECOMENDAMOS QUE DESLIGUE A MÚSICA AMBIENTE CLICANDO EM CIMA DO BOTÃO DE PARAGEM DA JANELA "MÚSICA - ESPÍRITO DA ARTE", QUE SE ENCONTRA DO LADO DIREITO, LOGO POR BAIXO DA PRIMEIRA CAIXA COM O MAPA DOS PAISES DOS NOSSOS LEITORES AO REDOR DO MUNDO.

sábado, 22 de outubro de 2011

PEDRO SIMÕES NETO, ADVOGADO, ESCRITOR, POETA, HISTORIADOR, PROFESSOR UNIVERSITÁRIO, EX-SECRETÁRIO DE ESTADO, ACADÉMICO, PRESIDENTEE DA ACCLA - Academia Cearamirense de Letras e Artes, homenageado, como CIDADÃO NATALENSE, RN-BRASIL


Pedro_cid1
                                                  Pedro Simões Neto
O advogado, escritor e presidente da Academia Cearamirinense de Letras, Pedro Simões Neto, foi agraciado com o Titulo de Cidadão Natalense. A cerimónia de homenagem e outorga do Diploma, acontecereu na quarta-feira, dia 19, a partir das 18h30, no auditório da Fundação Capitania das Artes.

Na passada quarta-feira (19), a Câmara Municipal de Natal (CMN) prestou uma justa homenagem ao professor, escritor e advogado, Pedro Simões Neto.  O Decreto Legislativo n° 229/86, de autoria do ex-vereador Francisco Souza Silva (in memoriam) que concede o título de Cidadão de Natal a Pedro Simões, foi resgatado através de proposição do Vereador George Câmara (PCdoB). 


A cerimônia solene de outorga de tão merecido e honroso Diploma de Cidadão Natalense a Pedro Simões Neto, teve início previsto às 18h30min no auditório da Fundação Capitania das Artes, que se encontrava repleto pelas mais representativas personalidades da vida pública, cultural e intelectual da capital, Natal, assim como do Estado do Rio Grande do Norte, em especial de Ceará Mirim, outra cidadde a que o cidadão Pedro Simões Neto está muito afetuosamente ligado desde a infância.

Pedro Simões Neto nasceu em 14 de abril de 1944, "adotando e sendo adotado" ainda criança,  pela cidade de Ceará-Mirim no RN, que veio a marcar muito do que ele se considera como pessoa. Pedro Simões é professor aposentado dos cursos de direito da Universidade Federal do RN (UFRN) e da Universidade Potiguar (UNP); professor colaborador da Escola Superior da Magistratura do RN, além de ter sido Pró-Reitor de Extensão Universitária da UFRN. Foi secretário do governo do estado ocupando três pastas distintas. Advogado militante, escritor, é membro do Instituto dos Advogados do Brasil e do Instituto Brasileiro de Tecnologia Jurídica. Escreveu dezenas de livros sobre literatura, poesia, economia e política, direito e filosofia (ética) e é atualmente o Presidente da Academia Cearamirinense de Letras e Artes – ACLA. 

Pedro Simões, tem-se notabilizado pelos altos serviços públicos, cívicos e labor inteletual prestados à cidade de Natal que ama e onde reside, sem, contudo, segundo o próprio, nunca ter deixado de ser “um apaixonado por Ceará Mirim, cidade de que nunca se desligou, e da qual se considera um filho, embora ali não tenha nascido, mas onde chegou já com cinco anos. Pedro Simões que se considera um "eterno aprendiz", sempre faminto e sedento por conhecimento, é praticante desse pleno valor humanista e cívico, haja vista, a sua “praxis”, expressa, também, no seu exercício permanente da cidadania a favor daquela cidade onde cresceu, para a qual  busca desenvolver um audacioso programa de desenvolvimento sustentável apoiado na ação cultural e de preservação do patrimônio histórico, integrado com ações geradoras e motivadoras para o turismo, comércio e serviços, que gerem emprego e renda para Ceará-Mirim.



Para o vereador George Câmara, "Pedro Simões é um justo merecedor da homenagem, pois tem o espírito público comum às grandes lideranças que lutam por fazer o RN se desenvolver e proporcionar aos potiguares cidadania e vida digna". Para ele, Pedro Simões sempre buscou, em sua vida, conceder políticas públicas de inclusão social, com ênfase na cultura e na preservação da memória da sua terra e gente. ...“Sem dúvidas, se faz jus e necessário prestar uma homenagem a Pedro Simões pelos serviços prestados ao povo de Natal, no exercício de suas gestões em educação e segurança pública, mas também, enquanto educador, professor da UFRN, lecionando disciplinas de Direito e formando inúmeras gerações de advogados”, declarou George Câmara.


Orador espontâneo e brilhante, Pedro simões ao ser empossado cidadão natalense, fez da sua saudação de agradecimento uma evocativa, bela e cativante peça de oratória coloquial, de improviso, levando-nos a uma viajem emotiva pelas suas várias raízes familiares e das terras dos seus ancestrais, invocando de Ceará Mirim o ambiente e paisagens bucólicas que formaram o seu espírito romântico, marcado pelos imensos canaviais do vale verde, omdulando penteados pelo vento, recordando os rios por onde nadou e brincou e que dele fizeram o menino feliz e o homem ligado a raízes telúricas fortes que moldaram o seu caráter voluntarioso, romanticamente poético, que sempre se emociona com um brilho nos olhos e uma tonalidade musical sustenida, mas clara e vibrante, na bela voz plena que seduz e atrai quem tem o privilégio de escutar as suas interessantes narrativas plenas de expontaneidade, onde sempre cabe, por entre as invocações saudosas, oportunas notas de um humor próprio de quem viveu com alegria e entusiasmo. Esse mesmo entusiasmo de viver em pleno, o levou a invocar, também, em breve nota, a  sua paixão pelo desporto, em que, entre outras modalidades, se destacou na prática de artes marciais, tendo conquistado a faixa preta.

Na sua alucoção de agradecimento pela honraria que lhe foi outorgado como "Cidadão de Natal", Pedro Simões confessou que preferiu não recorrer à segurança formal do discurso escrito, previamente racionalizado e estruturado, para deixar falar livremente as vozes do coração e das memórias de vida vivida e sentida e, como brilhante orador de improviso, Pedro Simões fez um resumo emocionalmente contagioso da história de suas origens e raízes, desde Aracaju, Rio de Janeiro, Bahia, até Ceará-Mirim, o vale encantado, onde chegou aos cinco anos, com seus pais: Dr. Percilio Alves, médico, sua mãe Dona Esmeralda e a única Irmã: Joventina Simões, também, como ele, advogada.


Mas, como escreveu em um de seus Blogues - "Vale Verde" -  a escritora, jornalista, poetisa e historiadora, sua amiga Lúcia Helena Pereira, filha também de Ceará Mirim, e a sempre inspirada Poetisa das Flores e do Amor, "quis o destino levá-lo mais além e o trouxe para natal, a cidadezinha presépio, onde fixou-se e formou sua família e teve filhos que já lhe deram netos. E quem nasce no vale verde há de sentir sempre essa pulsação, esse sortilégio que é a magia do tempo que pára e nos mostra o eterno cenário da cidadezinha que nos viu nascer e onde espelhamos nossa imagem de criança, no azul do atlântico e no verde esmeraldino dos canaviais verdejantes!"


O vereador George Câmara presidiu os trabalhos e convidou para a composição da mesa representativa da vida pública, cívica e cultural de Natal, as seguintes personalidades: Diógenes da Cunha Lima, escritor, historiador e poeta - Presidente da ANL - Academia Norte Rio Grandense de Letras; Jurandyr Navarro Costa - Presidente da Academia de Letras Jurídicas do RN; Anna Maria Cascudo Barreto, escritora, historiadora, Académica - Presidente da Fundação Ludovicus; Roberto Lima de Souza - Presidente Funcarte/Capitania das Artes; Lúcia Helena Pereira, em representação do IHG-RN - Instituto Histórico Geográfico do RN e representando o seu Presidente Enélio Lima Petrovich, ausente por doença; Eduardo Gosson, escritor - Presidente da UBE-RN - União Brasileira de Escritores-RN;  Aquino Neto, Vereador; Valério Mesquita - Presidente do Tribunal de Contas do Estado do RN.

O Vereador Aquino Neto abriu a sessão solene da cerimónia, apresentando cumprimentos e a encomiosa justificação da outorga de Cidadão de Natal a Pedro Simões Neto, após o que logo entregou a direção dos trabalhos ao Vereador George Câmara.


Como admiradores de Pedro Simões Neto, tivémos o privilégio de estar presentes, por esta homenagem coincidir com o período de nossa permanência semestral em nossa residência de Natal, homenagem a que muito gostosamente nos associámos, tendo ocasião de trocar com Pedro Simões Neto o nosso abraço afetuoso de felicitações, já que Pedro Simões nos honra e distingue, desde o nosso conhecimento, a mim e a Selma, com a sua amável consideração e cordialidade.


Pedro Simões Neto é credor da grande estima e admiração de que disfruta na Cidade de Natal, o que bem o demonstrou num salão do auditório da Capitania das Artes, que se encontrava repleto das mais distintas e significativas figuras públicas e inteletuais, assim como de muitos admiradores e, claro, na primeira fila, de toda a sua grande e amorosa família, onde orgulhosamente e com patente felicidade se contavam filhos e netos.

Honra para Pedro Simões, mas honra também para a cidade de Natal. que tem em Pedro Simões um dos seus mais ativos e brilhantes representantes de uma cidadania generosamente preocupada com o bem da Pólis, com o bem desta encantadora Cidade de Natal (capital do sol), anichada no colo da foz do belo rio Potengi, à beira mar esplendorosamente estendida, acariciada todo o ano pelo calor do sol e a brisa do oceano, sempre presentes.


Em meu nome pessoal, no de minha esposa Selma, e em nome de todos os membros do nosso Conselho Editorial/Redatorial, apresentamos ao amigo e distinto Cidadão de Natal Pedro Simões Neto, as nossas mais calorosas felicitações por mais esta tão justa homenagem, há muito merecida.


  Carlos Morais dos Santos
Professor Universitário
Consultor Senior Internacional em Desenvolvimento Estratégico Sustentado

Escritor, ensaísta, poeta, fotógrafo
Editor/Administrador de 4 Blogues e do Blog C.eA.L.
Cônsul (Lisboa) da Assoc. Internac. Poetas Del Mundo
Membro da Academia Portuguesa de Letras, Artes e Ciências
Membro da Sociedade Portuguesa de Geografia de Lisboa
Membro do Grémio Lusitano-GOL
Membro da Soc. Portuguesa de Estudos do Séc. XVIII
Membro da Liga Portuguesa dos Direitos Humanos-CIVITAS
Conselheiro do Conselho Superior de Ética e Responsabilidade Social de Portugal
 Membro da Audiência Portuguesa do Tribunal Internacional sobre o Iraque
Membro da AVAZ Internacional (10 milhões em prol dos Direitos Humanos, da paz e ecologia
Membro do IHG-RN-Instituto Histórico Geográfico do RN-Brasil
Membro da SPVA - Sociedade de Poetas Vivos e Afins do RN-Brasil
Membro do Clube Brasileiro da Língua Portuguesa - BH-MG-Brasil
Membro de várias Tertúlias Culturais portuguesas e brasileiras 

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

A UBE-RN PROMOVE O IV ENCONTRO POTIGUAR DE ESCRITORES, DE 24 A 26-10-2011, NO AUDITÓRIO DA ANL.


  

DR. EDUARDO GOSSON - PRESIDENTE DA UBE/RN
 UBE/RN PROMOVE O IV ENCONTRO POTIGUAR DE ESCRITORES
                                                                      RELEASE

                                           De 24 a 26 de outubro de 2011 no auditório da Academia Norte-Rio-Grandense de Letras acontecerá  o IV Encontro Potiguar de Escritores, promovido pela União Brasileira de Escritores UBE/RN  com o apoio da Academia  (Programação), oportunidade que a sociedade potiguar terá para conhecer a nossa Literatura e seus autores.
                                         Às 19h do dia 24 de outubro  haverá Abertura Solene, em que será prestada uma homenagem a cinco escritores  vivos  (Afonso Laurentino, Sanderson Negreiros, Enélio Petrovich , Eider Furtado e Dorian Gray) e mais outros 20 (in memoriam)  fundadores da UBE em 14.08.1959, portanto há  52 anos atrás.  Durante os três dias do IV EPE, sempre às 18h, haverá lançamentos de livros, saraus, organizados pela Academia de Trovas do RN-ATRN e a  Sociedade dos Poetas Vivos e Afins- SPVA  e com o apoio do Instituto de Desenvolvimento da Educação  - IDE, através do projeto de  formação de  leitores (crianças de algumas escolas públicas recitarão seus trabalhos/poemas.) Serão ofertadas 100 vagas para a rede pública gratuitamente.
                                    
 Com temas bem diversificados, que vão de Poetas e Poesia, Bellé Epoque Potiguar, Direito e Literatura, Contribuição  de Cascudo aos Saberes, Vozes  Femininas na Literatura Potiguar, o livro como objeto de desejo, às propostas dos órgãos culturais (FJA,  FUNCARTE e Instituto Cultural do Oeste Potiguar), entre outros.
                                           
As inscrições estarão abertas  via site da UBE (www.ubern.org.br)  no período de 10 a 14 de outubro;os educadores da rede pública devem procurar o Instituto de Desenvolvimento da Educação - IDE, pelo telefone 3611-0968, sítio virtual (www.ideducaçao.org.br) -ou e-mail ide.leitura@hotmail.com Outras informações pelo fone  9983-6081.

IV ENCONTRO POTIGUAR DE ESCRITORES
ONDE:  Academia Norte-Rio-Grandense Letras
DATA: 24 a 26 de outubro de 2011
Abertura: 24 de outubro de 2011 às 19h
 25 e 26 de outubro de 2011 (das 9h às 18h)
Acesso: mediante inscrição prévia e gratuita
Será emitido Certificado aos que tiverem 100% de participação


De 24 a 26 de outubro de 2011
 Coordenador Geral:
Eduardo Antonio Gosson
Coordenadores Adjuntos:
Aluízio Mathias dos Santos
Araceli Sobreira Benevides
Antônio Clauder Arcanjo
Carlos Roberto de Miranda Gomes
Cid Augusto Rosado da Escóssia
Francisco Alves da Costa Sobrinho
José Lucas de Barros (Academia de Trovas do RN)
Maria Rizolete Fernandes
Maurício  Cardoso  Garcia (SPVA)
Comissão de Divulgação
Alex Gurgel
Franklin Jorge
 Francisco Alves da Costa Sobrinho
Cid Augusto )
Jania Maria de Souza
J. Pinto Júnior
Lucia Helena Pereira .
 Maria Vilmaci Viana
Nelson Patriota (Diretor de Divulgação)
Paulo Jorge Dumaresq (Assessor Especial de Imprensa)
Local: Academia Norte-Rio-Grandense de Letras
Data: 24 a 26 de outubro de 2011
 
                                          PROGRAMAÇÃO

24.10.11, segunda-feira:

18h –  Abertura Solene:
           .Discurso do Presidente da UBE/RN e entrega de Diploma aos remanescentes de 14 de agosto de 1959 (vivos e in memoriam)
            (Eduardo Gosson)   
 19h30 – As aventuras de Teresa Margarida da Silva e Orta em Terras de Brasil e Portugal
           (Conceição Flores)
    
25.10.11-  terça-feira

09h – De Poetas e Suas Poesias: Uma Viagem no Tempo
            (Ciro Tavares)
10h30 – Belle Époque Potiguar
              (Tarcísio Gurgel)
15h – Propostas dos gestores públicos para a Cultura Potiguar
           (Isaura Rosado Maia- FJA e Roberto Lima- FUNCARTE)
           Moderador: Eduardo Gosson
16h30 – Direito e Literatura
             ( Jurandyr Navarro, Manoel Onofre Júnior e Miguel Josino) 
Moderador:  Carlos Gomes
18h – Lançamentos de  livros e sarau com a Academia de Trovas RN (Coordenação José Lucas de Barros),  crianças  e professores da rede pública.O dramaturgo Paulo Jorge Dumaresq lançará duas peças em um só livro” bocas que murmuram e Retorno do Adônis”.
         
26.10.11, quarta-feira:

09h -   Contribuição Cascudiana para  História,  Etnografia e Literatura Oral
             (Anna Maria Cascudo Barreto, Diógenes da Cunha Lima e Vicente Serejo)
             Moderador: Roberto da Silva 
10h30 –  Instituto Cultural do Oeste Potiguar – ICOP
               (Aécio Cândido)
15h –  Vozes Femininas na Literatura Potiguar
           ( Valdenides Dias) 
 16h30 –  A questão do livro e da leitura
          (Claudia Santa Rosa,Erileide Rocha e Fernando Mineiro)
          Moderador: Chico Alves
         18h – Lançamentos de livros e sarau (SPVA) + crianças e professores da rede pública
         Coordenação: Maurício Garcia

Vivos            

Afonso Laurentino Ramos
José  Sanderson Negreiros
Eider Furtado de Mendonça e Menezes
Enélio Lima Petrovich
Dorian Gray Caldas

 In memoriam

Aluízio Alves 
Antídio de Azevedo 
Alvamar Furtado de Mendonça 
Augusto Severo  Neto 
Américo de Oliveira Costa 
Berilo Wanderley
Edgar Ferreira Barbosa 
Esmeraldo  Homem de  Siqueira 
Hélio Mamede de Freitas Galvão 
Jaime  Guimarães Wanderley 
José  Saturnino de   Paiva 
João Vicente da Costa  
 Leonardo Bezerra
Luís da Câmara Cascudo  
Manoel Rodrigues de Melo  
Othoniel Menezes  de Melo 
Paulo  Pinheiro de Viveiros
Raimundo Nonato da Silva                                                                                     
Vingt-un Rosado
  

PRÉMIO PLANETA DE LITERATIURA FOI PARA O ROMANCE DOM PEDRO I, DO ESCRITOR ESPANHOL JAVIER MORO

Pedro I/IV
I do Brasil e IV de Portugal
Brazilimperialblason2.svg
Imperador do Brasil
Por Graça de Deus e Unânime Aclamação dos Povos, Imperador Constitucional e Defensor Perpétuo do Brasil.
Coat of arms of the Kingdom of Portugal (Enciclopedie Diderot).svg
Rei de Portugal
Pela Graça de Deus, Rei de Portugal e dos Algarves, d'Aquém e d'Além-Mar em África, Senhor da Guiné e da Conquista, Navegação e Comércio da Etiópia, Arábia, Pérsia e Índia, etc.
DpedroI-brasil-full.jpg
O escritor espanhol Javier Moro evoca a figura do imperador do Brasil dom Pedro I, que mostra como um homem a frente de seu tempo, em seu romance El imperio eres tú, com o qual ganhou na noite de sábado o 60º Prêmio Planeta. A obra é uma minuciosa crônica da vida de Pedro I, que reinou na primeira metade do século XIX, um homem, segundo disse em entrevista coletiva Moro, que encarna "a longa história da luta do ser humano pela liberdade, concretamente o homem que forjou a independência da primeira nação latino-americana", e que define como uma das pessoas "mais surpreendentes, pitorescas e originais".
"Pedro I foi um filho leal, amante fogoso, mas um marido terrível, que o diga sua mulher, Leopoldina da Áustria, que o ajudou a ser imperador aos 23 anos, mas que teve o defeito de amar demais um homem, metade Don Juan e metade Don Quixote, ao qual se atribuem 120 filhos, dos quais reconheceu uma dúzia", disse o escritor.
 
"No final de sua vida, o imperador não queria o poder, mas a glória, e o conseguiu lutando do lado da liberdade em um conflito civil que pode ser visto como o prelúdio de nossa guerra civil", continua Moro. O escritor espanhol, que demorou três anos para escrever o romance, com um ano e meio de pesquisa documental, assegura que sua obra não é apenas a história de Pedro I, mas também a história de sua família, obrigada a fugir para a América fugindo de Napoleão, "a primeira vez que uma monarquia europeia foi para as colônias e com ela 10% da população de Portugal, que transferiu a capital do reino de Lisboa para o Rio de Janeiro".
 
Em suas páginas, Moro descreve uma corte na qual convivem "comerciantes de escravos, militares ambiciosos, artistas, músicos e cientistas idealistas". Confessou que escrever El imperio eres tú foi um desafio, porque nos dois últimos romances tinha entrado na cabeça de dois personagens femininos e agora queria "atacar a psique masculina" e para isso "queria contar de dentro o que os historiadores contaram por fora".
 
Ao contrário de seu pai, o imperador Pedro II foi "um homem perfeito, nada mulherengo e que reinou durante 50 anos", mas Pedro I era muito mais atraente de um ponto de vista literário: "Nos 36 anos que viveu fez muitas coisas e deixou sua marca na história de dois continentes".
Desde a época em que viveu no Brasil nos anos 90, Moro já tinha conhecimento sobre Pedro I, de Leopoldina, uma mulher ainda muito querida no Brasil e de sua amante Domitila de Castro, personagens fascinantes que "não podia deixar passar sua história". "Nas pesquisas que fiz sobre o primeiro imperador do Brasil, descobri que ele tinha uma mãe espanhola, um aspecto pouco conhecido em nosso país", disse.
 
NOTA DA REDAÇÃO:
Dom Pedro I do Brasil e IV de Portugal (nome completo: Pedro de Alcântara Francisco António João Carlos Xavier de Paula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafim de Bragança e Bourbon; de 1798 — Queluz, 24 de Setembro de 1834 foi o primeiro Imperador e também o primeiro Chefe de Estado e de Governo e do Brasil (de 1822 a 1831), além de ter sido o 28º Rei de Portugal (durante sete dias de 1826), e, portanto, também por sete dias de 1826, a 1831 soberano do Império ultramarino português.

Recebeu os títulos de Infante de Portugal, grão-Prior do Crato, Principe da Beira, príncipe real do reino unido de Portugal, Brasil e Algarves, Príncipe Regente do reino unido de Portugal, Brasil e Algarves, além de primeiro Imperador do Brasil. Como Dom Pedro I, de 12 de Outubro de 1822 a 7 de Abril de 1831, e ainda 28º Rei de Portugal, durante um período de sete dias (entre 26 de Abril e 2 de Maio de 1826), como Dom Pedro IV.

Em Portugal é conhecido como O Rei-Soldado, por combater o irmão D. Miguel na Guerra Civil de 1832-1834, ou O Rei-Imperador. É também conhecido, de ambos os lados do  oceano atlântico, como O LibertadorLibertador do Brasil do domínio português e Libertador de Portugal do governo absolutista.

domingo, 16 de outubro de 2011

LITERATURA DO RN - BRASIL EM DESTAQUE


É com com muita satisfação que registamos o surgimento de mais um precioso Blog dedicado à literatura do RN-Rio Gamde do Norte - Brasil
Transcrevemos, pois, o email recebido, que agradecemos e já incluímos o blog


na lista dos Blogues e Sites que acompanhamos e recomendamos como contrinuintes para as "CULTURAS E AFETOS LUSÓFONOS.  

Carlos Morais dos Santos
Edfitor-Administrador do C.A.L.
 ************

Caro Amigo


Com único intuito de divulgar os grandes escritorese grandes livros Potiguares , agora existe  um espaço para valorizar as nossas obras literárias.


Peço  a você, que divulgue esse trabalho sem fim lucrativo, que quer apenas valorizar as obras da nossa terra. Todos os homenageados vivos, estão sendo comunicados e estão muito felizes .
Muitos dos grandes livros e autores do RN precisam ser reeditados e relançados urgentemente, é preciso chamar atenção dos governos estadual e municipal para essa causa . 




Essa luta é de todos os Potiguares

Grato pela atenção

AUTORES DA LITERATURA DO RIO GRANDE DO NORTE-BRASIL EM DESTAQUE


Com a devida vénia e créditos transcrevemos do Email que recebemos da nossa querida amiga, confreira e Membro do nosso Conselho Editorial/Redatorial, a poetisa Lúcia Helena Pereira, a matéria das notícias que a seguir se dão aos nossos leitores, publicada pelo Site www.liegebarbalho.com.

Em meu nome pessoal e em nome desta nossa Revista Culturas e Afetos Lusófonos e de todos os seus Membros do nosso Conselho Editorial/Redatorial, endereçamos aos distintos autores e representantes da literatura Potiguar - Pedro Simões e Lúcia Helena Pereira, as nossas mais vivas felicitações pelos altos méritos que a ambos lhes foi reconhecido. Igualmente agradcemos a colaboração da escritora Valéria Araújo na elaboração desta postagem feita por www.liegebarbalho.com.

Carlos Morais dos Santos

Cidadão natalense

Escrito por Colaboração: Valéria Araújo Sáb, 15 de Outubro de 2011 16:08
Pedro_cid1
Pedro Simões receberá título próxima quarta-feira

O advogado, escritor e presidente da Academia Cearamirinense de Letras, Pedro Simões Neto,será agraciado com o Titulo de Cidadão Natalense. A entrega da homenagem acontecerá na próxima quarta-feira, a partir das 18h30, no auditório da Fundação Capitania das Artes.
   

Melhores da Poesia Brasileira em 2011

Escrito por Colaboração: Valéria Araújo Sáb, 15 de Outubro de 2011 15:22
LH_MESA_DOCES


Poema Doce Lágrima, de Lúcia Helena, está entre os selecionados
As escritoras paulistas Jane Rossi e Mônica Rosenberg divulgaram a lista oficial dos escritores que terão suas obras divulgadas no livro Melhores da Poesia Brasileira 2011. Mais de 400 poemas foram recebidos para a seleção. E duas potiguares terão suas obras divulgadas nacionalmente. As poetisas Lúcia Helena Pereira e Clevane Pessoa são só alegria com a publicação.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

PORTUGAL, comemorou, ontem, o 101º. centenário da implantação da República Portuguesa a 5 de Outubro: Presidente Cavaco Silva preside a comemorações oficiais da República






O Presidente da República Portuguesa presidiu às comemorações oficiais do 5 de Outubro, que além da tradicional cerimónia na Câmara Municipal de Lisboa, voltou a ser assinalado de forma especial no Palácio de Belém, com duas exposições e concertos.

A abertura ao público do Palácio de Belém e do Museu da Presidência da República aconteceu logo pelas 10:00, com a Banda Sinfónica da PSP a a tocar no Jardim da Cascata.

Às 11:30, foi a vez da «Big Band» do Município da Nazaré subir ao palco do Pátio dos Bichos para uma atuação de 45 minutos.



O palácio, residência oficial dos presidentes da República, teve abertas as portas às visitas do público e apresenta uma exposição sobre a sua história até ao final deste mês.

A cadeira dos leões,  escolhida por Manuel de Arriaga como cadeira do Presidente da República e que se manteve ao longo de mais de 100 anos  é um dos objectos  em exposição.

A exposição "Residência oficial do Chefe de Estado" apresenta diversos objectos, como lençóis do reinado de D. João VI que ainda são usados, louças finamente ornamentadas, uma colcha do Duque de Bragança e um guarda-jóias da princesa D. Amélia.

O Palácio de Belém foi adquirido em 1726 pelo rei D. João V e desde então passou a servir de residência de reis  presidentes.

Residência oficial do Presidente da República desde 1911 e centro do poder político nacional, o Palácio de Belém é uma referência incontornável no imaginário colectivo. No seu passado de mais de quatro séculos, foi casa de nobres e quinta de veraneio de reis e princesas e resistiu incólume ao terramoto de 1755.

FORTALEZA - BRASIL: Prefeitura de Fortaleza anuncia criação de Casa da Lusofonia


A Prefeitura de Fortaleza, no Estado do Ceará, anunciou hoje a criação da Casa da Lusofonia, espaço para exposições e eventos que tem como objetivo a valorização da língua portuguesa.

A prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins, assinou a ordem de serviço para as obras durante o Encontro de Negócios na Língua Portuguesa, aberto oficialmente ontem na cidade brasileira.

Segundo a prefeita, o projeto ajudará a estreitar as relações entre Fortaleza e os demais países lusófonos. 'Temos tudo para poder desenvolver e aprofundar essas relações e acho que a Casa da Lusofonia vai ser um ambiente propício para isso', disse a política brasileira, em entrevista à Agência Lusa.

Luizianne Lins cita que, atualmente, a cidade do nordeste brasileiro acolhe 1.000 estudantes de outros países de língua portuguesa. Além disso, é um importante centro turístico e tradicional destino de investimentos portugueses, beneficiado por sua posição geográfica.

'Fortaleza está numa posição privilegiada em relação às demais cidades brasileiras', disse a prefeita. A cidade é a capital brasileira mais próxima da Europa, além de ter fácil acesso para a África. Voos diretos fazem ligação tanto com Portugal como com Cabo Verde.

Localizado na região do Brasil que mais cresce, o Estado do Ceará é, atualmente, a segunda principal porta de entrada de investimentos portugueses.

O Estado também sedia a Universidade Federal da Integração Luso-Afro-Brasileira (Unilab), uma instituição pública de ensino superior que tem como objetivo formar recursos humanos para desenvolver a integração entre os países lusófonos.

Com custo previsto de 1,4 milhão de reais (560 mil euros), a Casa da Lusofonia é um dos oito equipamentos culturais previstos no projeto de revitalização da praia de Iracema. A Casa será integrada ao novo Centro de Informações Turísticas da cidade.

Empresa portuguesa desenvolve software para satélites da União Europeia a lançar em 2013



A Criitical Software é a primeira empresa portuguesa a desenvolver software que vai embarcado ("on-board") em satélites a lançar em 2013 para o espaço no âmbito de um programa da União Europeia.

"É primeira empresa portuguesa a desenvolver software que vai embarcado nos satélites", disse Paulo Guedes, da Critical Software (CSW), à margem de um seminário internacional que terminou hoje, em Coimbra, sobre "Falhar não é opção", com a participação de especialistas da NASA e a Agência Espacial Europeia (ESA).

De acordo com este responsável, a CSW está a validar software para um dos três satélites a lançar em 2013 e a desenvolver o software que irá embarcado nos restantes dois.

A missão, a lançar em 2013, insere-se no programa European Earth Observation GMES - Global Monitoring for Environment and Security Space Component - The Sentinels.

A Critical Software é o principal fornecedor de "On-board software" para esta constelação de satélites, segundo uma nota de imprensa sobre o programa europeu.

"Os satélites Sentinel são o fundamento do GMES Space Component que se encontra a ser desenvolvido sob a supervisão da Agencia Espacial Europeia, estando previsto que venham a fornecer informação inestimável na compreensão de como o planeta e o clima estão a mudar, o papel desempenhado pelo Homem nas alterações e como estas irão influenciar os hábitos diários das pessoas", adianta a mesma nota.

De acordo com Paulo Guedes, responsável na CSW pelo desenvolvimento de negócios na área do espaço, a informação recolhida no âmbito do programa vai permitir ao legislador criar leis capazes de combater fenómenos como o aquecimento global e, por outro lado, gerir emergências de forma mais eficaz.

Bordallo Pinheiro convida artistas brasileiros


Bordallo Pinheiro convida artistas brasileiros

Foto © Faianças Artisticas Bordallo Pinheiro

A obra de Bordallo Pinheiro vai ser o foco de inspiração da 16 artistas brasileiros que vêm a Portugal, a convite da Fábrica de Faianças, criar peças artísticas. As obras serão expostas em São Paulo e em Lisboa, em 2012, na sequência do processo de internacionalização da fábrica portuguesa no Brasil.

"16 BB -- Bordallianos do Brasil" é o título da iniciativa promovida pela fábrica das Caldas da Rainha, fundada há 125 anos por Bordallo Pinheiro. Serão criadas 16 peças originais limitadas a 250 exemplares, que serão distribuídos equitativamente pelo mercado português e pelo mercado brasileiro.

Além deste projeto, a importante fábrica de faianças portuguesa vai ter outras estratégias que visem a internacionalização para o país em que Bordallo Pinheiro também viveu.

A ligação do artista ao Brasil ficou reconhecida graças à "Jarra Beethoven", uma peça com 2,60 metros de altura, que ele ofereceu à Presidência da República do Brasil, em 1899.

“O futuro da Bordallo Pinheiro passa, inquestionavelmente, por parcerias internacionais com artistas plásticos e diálogos com outras culturas. Queremos levar a Bordallo Pinheiro a todo o mundo, enriquecendo ainda mais a sua história e o seu legado artístico”, explica Nuno Barra, Diretor de Marketing da Bordallo Pinheiro, em comunicado.

Cada um dos 16 artistas brasileiros vai ficar dez dias em Portugal, em visita à fábrica, para adquirir conhecimentos, técnicas e inspiração sobre a obra de Bordallo Pinheiro. As áreas de atuação dos convidados vão desde a escultura, à moda, passando pela pintura e e estilismo.

O pintor Caetano Almeida vai ser o primeiro artista a chegar em Portugal. Além dele vão estar no país: Saint Clair Cemin (escultura), Barrão (pintura, escultura, multimédia), Caetano de Almeida (pintura), Tunga (escultura e desenho), Regina Silveira (vídeo-arte), Efrain de Almeida (escultura), Fábio Carvalho (pintura), Frida Baranek (escultura), Marcos Chaves (fotografia e vídeo), Sérgio Romagnolo (pintura, escultura), Tonico Auad (desenho, instalação e fotografia), Tiago Carneiro da Cunha (pintura e escultura), Erika Versutti (escultura), Estela Sokol (pintura) e as estilistas Isabel Capeto e Martha Medeiros.

Portugal e Brasil em diferentes vozes: a revista Atlântida e a "causa" luso-brasileira (1915/1920)


No presente texto, escreve Luciana Lilian de Miranda, Doutoranda em História pela Universidade Nova de Lisboa (UNL), buscamos recuperar como foram pensadas as relações entre Portugal e Brasil, em diferentes vozes, nas primeiras décadas do século XX.

Neste contexto, destacou-se a forma como a “causa luso-brasileira” ganhou espaço e projeção, estimulada por um vigoroso debate entre grupos de intelectuais nos dois países.

Um dos meios privilegiados na divulgação deste debate foi gerado pela revista Atlântida, publicada em Lisboa, entre os anos de 1915 a 1920.Nas representações elaboradas por essas elites, podemos apreender manifestações de proximidades e também de rupturas e distanciamentos, as quais configuravam as relações entre Brasil e Portugal no período.

Para recuperar as visões produzidas sobre essas relações devemos consultar as revistas luso-brasileiras, as obras produzidas nas comemorações dos centenários históricos, os discursos diplomáticos e os instrumentos da propaganda nacionalista radical brasileira. Neste momento, foram produzidos 2 estereótipos e preconceitos que tais elites recorreram para entender a sua própria formação como nação em busca das suas raízes e influências culturais.

A Atlântida, mensário artístico literário e social para Portugal e Brasil, foi pensada com o propósito de suscitar um intercâmbio cultural entre os países. A revista nasceu da união entre dois expoentes das letras com uma crença comum; renovar e intensificar as relações luso-brasileiras. Como é sabido, estamos nos referindo ao escritor, pedagogo e político republicano português João de Barros (1881-1960) e ao jornalista e também escritor carioca João Paulo Barreto (1881-1921), mais conhecido por “João do Rio”, um dos seus pseudônimos largamente utilizado.

Diante da documentação consultada, acreditamos que a revista em questão apresenta-se como relevante ao considerarmos o conteúdo, o volume1 e longevidade da sua publicação, ao lado do patrocínio dos governos dos dois países.
Tal iniciativa pode ser conferida nas dedicatórias dos Ministros das Relações Exteriores do Brasil e dos Estrangeiros e Fomento de Portugal, desde a primeira edição, seguidas da mensagem de apoio impressas nas páginas iniciais dos números posteriores, em vigor até o vigésimo quinto exemplar de 1917.
Ao acompanhar as temáticas discutidas na revista, podemos inferir que a ideia da aproximação cultural é o mote, no entanto, respaldada por uma questão também política.
Algumas leituras sugerem a interpretação de que vislumbrava-se a consolidação de uma relação política, econômica e cultural que privilegiasse uma interação via Atlântico Sul entre Brasil, Portugal e suas então colônias africanas. Uma espécie de aliança, com vistas ao cenário internacional, em termos de zonas de influência na política externa e de posicionamento estratégico.
A partir deste quadro, visamos recuperar as leituras acerca da tradição lusobrasileira, propostas por dada elite intelectual na tentativa de respaldar tal aliança, que em alguns discursos assumiu uma forma confederativa. Deste modo, buscamos analisar como as múltiplas visões sobre uma Confederação entre Portugal e Brasil dialogaram