TOP BLOG 2010

TOP BLOG 2010

Boas Vindas a esta comunidade de Culturas e Afetos Lusofonos que já abraça 76 países

MÚSICA DE FUNDO E AUDIÇÃO DE VÍDEOS E AUDIOS PUBLICADOS

NÓS TEMOS TODO O EMPENHO EM MANTER SEMPRE MÚSICA DE FUNDO MUITO SELECIONADA, SUAVE, AGRADÁVEL, MELODIOSA, QUE OUVIDA DIRETAMENTE DO SEU COMPUTADOR QUANDO ABRE UMA POSTAGEM OU OUVIDA ATRAVÉS DE ALTI-FALANTES OU AUSCULTADORES, LHE PROPORCIONA UMA EXPERIÊNCIA MUITO AGRADÁVEL E RELAXANTE QUANDO FAZ A LEITURA DAS NOSSAS PUBLICAÇÕES.

TODAVIA, SEMPRE QUE NAS NOSSAS POSTAGENS ESTIVEREM INCLUÍDOS AUDIOS E VÍDEOS FALADOS E/OU MUSICADOS, RECOMENDAMOS QUE DESLIGUE A MÚSICA AMBIENTE CLICANDO EM CIMA DO BOTÃO DE PARAGEM DA JANELA "MÚSICA - ESPÍRITO DA ARTE", QUE SE ENCONTRA DO LADO DIREITO, LOGO POR BAIXO DA PRIMEIRA CAIXA COM O MAPA DOS PAISES DOS NOSSOS LEITORES AO REDOR DO MUNDO.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Por Isabel Pecegueiro - Poema AFEGANISTÃO


Estreamos hoje a colaboração da poetisa Isabel Pecegueiro com o belo poema - Afeganistão - muito comovente na dureza da mensagem cívica de humanismo que grita, com uma lírica muito depurada e um forte ritmo marcado, dramático, como protesto musical que denuncia a guerra, o sangue, as mutilações e mortes. É um canto-marcha, grito pela paz, que ecoa vibrante, que nos atravessa e compromete e procura alcançar, desesperado, um Deus impotente e mudo, cujo Amor parece ter morrido no coração dos homens que fazem as guerras.

De Isabel Pecegueiro esperamos contar com a continuidade da sua colaboração, sempre que lhe sobrar alguma disponibilidade e, assim, revelaremos aos muitos milhares de nossos fieis leitores do universo lusófono, espalhados por todos os cantos do mundo, a beleza da criação literária desta autora, que nos há-de presentear com a sua intensa e muito sensível lírica e, também certamente, com alguns textos temáticos.

Isabel Pecegueiro, portuguesa, é professora em Lisboa do ensino pré-universitário (12º ano) na área das literaturas em que é formada e especializada. Amante e estudiosa de Fernando Pessoa, tem dado um particular destaque na sua docência à obra do grande génio da literatura lusófona.
C.M.S.




Isabel Pecegueiro

Afeganistão

No Afeganistão
Há fogo no ar
Há morte no chão
Afegão.
Choram as crianças
Escondem-se os chacais
E do céu cai fogo
Mais e mais.
No Afeganistão
salta uma criança
Um braço, uma mão
E a mãe que fica
Já sem isso tudo
Não nos pode olhar
Seu olhar é mudo.
Azul sua roupa
Como está vestida!
Sem rosto, sem braço, sem filho
sem vida.
E, no Afeganistão,
Sem qualquer razão
A morte acampou
E seus longos braços
Sem qualquer razão
No mundo espalhou.
Deus a tudo assiste
com nomes diversos.
Vai cerrando os olhos
Nos campos adversos
Aos filhos que Ele
Também vê morrer
E Ele, que é Deus,
Que pode fazer?

Isabel Pecegueiro


2 comentários:

  1. De: Silvino Potencio

    Os meus cumprimentos à Ilustre Isabel Pecegueiro e faço votos de sucesso nos seus projetos literários presentes e futuros, sempre engrandecedores da perenização da Cultura Luz & Tana (aforisma pessoal da minha autoria)
    Aproveito para deixar o meu Abraço ao Dilecto Amigo Carlos Santos e nos veremos em breve para recordar Lisboa a Princesa do Tejo...
    Silvino Potencio
    Emigrante Transmontano em Natal (Brasil)
    www.silvinopotencio.net

    ResponderExcluir
  2. Bonito e sentido poema. Ritmo e sensibilidade, de maos dadas.

    ResponderExcluir